Quando se fala que há algo errado nas contas de energia da população acreana, a Energisa, empresa responsável pelo serviço no Acre, aparece com mil e uma explicações para tentar convencer a sociedade que tudo está correto e nada de anormal está sendo cobrado.

Tem sido assim, inclusive nas audiências até agora da CPI que investiga as contas de energia na Assembleia Legislativa do Acre.

Mas qual seria a matemática para explicar o que acontece em uma pequena igreja localizada no quilômetro 45 da Estrada Transacreana? O local é minúsculo, suportando no máximo 20 fiéis. No interior da igreja há uma pequena caixa de som, um ventilador, um bebedouro e apenas duas lâmpadas.

A igreja foi construída na colônia da dona Darci Pereira Guerra, que também emprestou seu nome para que fosse feita a ligação de energia. Os equipamentos e as duas lâmpadas são ligados apenas uma vez por semana pelo período de duas horas para a realização dos cultos.

Na semana passada chegou a primeira conta, com uma desagradável surpresa. O valor da tarifa ultrapassou a quantia de mil reais.

A primeira vista se pensou se tratar da cobrança pela instalação de algum equipamento, mas ao analisar a conta se verifica que trata-se apenas do valor do consumo de energia.

“Isso é um absurdo. Só usamos a energia uma vez por semana e não tem quase nada dentro da igreja. Como se pode ver nas fotos é uma igrejinha muito pequena construída no terreno da minha mãe. Nem casa com ar condicionado, geladeira e outros produtos chega nesse valor. Minha mãe não tem como pagar e isso tá errado”, afirma Laudemir Guerra, filho de dona Darci, que vive de uma pequena aposentadoria.

Darci, acompanhada dos filhos, esteve na manhã desta terça-feira, 12, no Procon denunciando a Energisa por cobrança abusiva na conta de energia elétrica.

ac24horas tentou uma explicação da Energisa sobre o valor cobrado na tarifa de energia, mas não obteve retorno de sua assessoria.

 

Comentários