O Acre irá ganhar a primeira Casa da Mulher Brasileira, espaços, que abrigam um centro de atendimento humanizado e especializado no atendimento à mulher em situação de violência doméstica, informou esta semana a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves à senadora Mailza Gomes (Progressistas-Acre).

Comprometida em promover políticas de inclusão e combate a violência feminina, a senadora Mailza destinou R$ 5 milhões em emendas para construção de unidades em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia. Cada espaço atenderá municípios das regionais do Alto e Baixo Acre, Juruá e Purus.

A ministra ainda informou que o Acre receberá mais uma unidade da Casa da Mulher, totalizando quatro e que a primeira será construída ainda este ano em Cruzeiro do Sul.

Para a senadora, a criação da primeira Casa da Mulher no Acre é de extrema importância num momento em que os índices de violência contra mulheres são grandes.

“Fico muito feliz ver os avanços, e mais feliz ainda saber que um recurso que destinei será aplicado num espaço que garantirá apoio as mulheres. Consegui enviar as emendas de mais de 5 R$ milhões e temos o apoio da ministra Damares que sinalizou positivamente a construção. Será uma casa que terá suas portas sempre abertas para total apoio, com equipe de policiais, assistentes sociais, psicólogos, além do trabalho conjunto que poderá ser desenvolvido com a Rede de Atendimento à Mulher do estado. Fortalecer essa rede de atendimento é uma das prioridades do meu mandato esse é o primeiro passo de combate ao feminicídio e violência. Estamos juntas cada vez mais para fortalecer todas”, destacou a senadora.

Estiveram presentes a primeira-dama do Acre, Ana Paula Cameli, a desembargadora do Tribunal de Justiça do Acre, Eva Evangelista, a secretária estadual de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres, Ana Paula Lopes Lima, a diretora estadual de Políticas Públicas para Mulheres da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Acre), Isnailda Gondim e a representante do Comitê Global para Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais, Francisca Arara.

Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia já tem terreno para construção da Casa

De acordo com Mailza, as prefeituras de Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia já doaram o terreno para a construção da sede da Casa Brasileira. “Os prefeitos foram muito solícitos e parceiros e se colocaram a disposição para todos os assuntos relacionados ao atendimento à mulher”, explicou. Em Rio Branco, o terreno será doado pelo Estado.

O QUE É

A Casa da Mulher Brasileira é um projeto do governo federal, previsto no programa “Mulher, Viver sem Violência”, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). A ideia é concentrar num só local todos os serviços públicos destinados a mulheres em situação de violência e vulnerabilidade social: delegacia de polícia, defensoria pública, ministério público, vara especializada em gênero, posto médico e salas de atendimento psicossocial e de qualificação profissional.

Comentários