Por Aline Nascimento

A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Acre (SEE) tenta montar um protocolo para o retorno das aulas presenciais em setembro. Para isso, a pasta divulgou enquetes para ouvir os pais e responsáveis pelos alunos e os professores.

As aulas estão suspensas desde o dia 17 de março, quando surgiram os primeiros casos de Covid-19 no estado acreano. Desde então, os alunos têm acesso ao conteúdo escolar pela internet, por videoaula ou audioaula, pela televisão, rádio e também pelo material impresso e adquirido nas escolas.

O Acre tem mais de 18,7 mil casos de Covid-19 já confirmados. Até o domingo (26), o número de mortes era de 486 pessoas. Já a quantidade de pessoas curadas da doença é de mais de 10 mil.

A SEE planeja voltar com as aulas presenciais no dia 8 de setembro, mas destacou que esse retorno depende da evolução dos casos de coronavírus e da reclassificação de fase do estado pelo Pacto Acre Sem Covid.

O pacto avalia a situação das cidades diante da doença por fases. Essas fases são definidas por bandeiras: a vermelha é de emergência e as demais fases do planejamento são: alerta, simbolizada pela cor laranja; atenção, pela cor amarela e cuidado na cor verde.

Enquetes foram divulgadas para saber a opinião dos pais, alunos e professores sobre o retorno das aulas durante a pandemia — Foto: Reprodução

Todas as regionais do Acre se encontram atualmente na fase de alerta, representada pela cor laranja. Com isso, as cidades retornaram gradativamente com as atividades comerciais e outros serviços não essenciais.

“Estaremos mobilizando uma leva de, aproximadamente, 150 mil alunos. Isso não vai acontecer de uma vez só, não posso manter essa quantidade de alunos ao mesmo tempo dentro da sala de aula com 40 a 50 alunos. Todas essas decisões vão ser tratadas a partir das reuniões”, explicou a diretora de ensino da SEE, Denise dos Santos.

Protocolo

Denise dos Santos falou também que foram lançadas enquetes para ouvir os professores e gestores e os pais e responsáveis dos alunos sobre esse possível retorno. O resultado dessas enquetes, que devem ser concluídas nesta semana, vai ser apresentado para o Fórum de Educação, que deve ocorrer no início de agosto.

“Foi elaborado um plano de ação e dentro do plano temos algumas etapas a serem cumpridas. A primeira etapa é a realização de consulta a comunidades escolares. Primeiro foram ouvidos os gestores e estamos com três enquetes abertas direcionadas aos pais e responsáveis, aos alunos e aos professores. Na segunda etapa, vamos reunir o Fórum de Educação, o comitê de combate a Covid e outras instituições para apresentar o resultado dessas consultas”, complementou.

Uma das questões da enquete direcionadas aos pais pergunta ser eles estão de acordo com o retorno dos alunos com alternância entre números pares e ímpares. Outro ponto avaliado também seria o retorno inicial apenas para as escolas da zona rural, que possuem menos alunos.

“Ao ouvir a comunidade, vamos definir como será o retorno, se será gradual, se vamos iniciar primeiro com as escolas rurais que têm o número menor de alunos; com as séries que vão fazer a transição de etapa. Essas ações são importantes e termômetros que vamos utilizar para definir as estratégias de retorno das aulas presenciais”, afirmou.

Comentários