Com capacidade para atender 318 adolescentes em conflito com a lei, o Instituto Socioeducativo do Acre (ISE) está trabalhando com pouco mais de 380 meninos e meninas que receberam determinação de internação. O número ultrapassa os 20% da capacidade oficiais e coloca em xeque os trabalhos realizados nos centros de todo o estado, que ao todo somam sete unidades, em quatro cidades acreanas.

Diante da situação, a administração do ISE trabalha para, junto ao Poder Judiciário, viabilizar a liberação de jovens que já estão em condições de serem evacuados do sistema de internação, para o acompanhamento in loco.
O Judiciário já foi convocado para abertura de diálogo sobre a situação dos menores detidos nos centros. Ainda segundo o órgão, diversos adolescentes já atingiram a maioridades, porém, continuam nas unidades.

De acordo com o ISE, medidas de caráter social serão intensificadas nos próximos meses, para que sirvam como medida alternativa aos praticantes de delitos.

Além dos menores que cumprem pena nas dependências dos Centros, outros 130 estão obrigados a permanecer por apenas um período dentro dos centros. O ISE informou que 120 são meninos e outros 10, meninas. Essa situação em que eles foram colocados se chama “semiliberdade”, mas a proposta é encaminhá-los para a “semi liberdade”, situação em que o infrator é acompanhado pela equipe social.

Comentários