Secretário de segurança afirma que investigações já estão em andamento e que ainda não foi notificado pelo Ministério Público.

MP-AC instaura inquérito para apurar causas do acidente entre caminhão e helicóptero do governo do Acre — Foto: Luis Eduardo/Arquivo pessoal

O Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou inquérito civil para apurar as causas do acidente envolvendo um caminhão baú e o helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) do governo do Acre, em Rio Branco, no último sábado (18), na BR-364.

Em nota, o secretário de segurança Pública, Paulo César Santos, informou que ainda não houve nenhuma notificação à secretaria em relação ao inquérito e acrescentou que a Polícia Civil, Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também já investigam o caso.

“Independente de apuração do MPE, a Polícia Civil está investigando o incidente, além dos órgãos de controle de aviação, CENIPA e ANAC, que investigarão questões administrativas e operacionais, a fim de definir responsabilidades pelo acidente”, disse.

Segundo o MP informou, o acidente colocou muitas pessoas em risco, além do dano ao patrimônio público. Na primeira fase das investigações serão ouvidos depoimentos, colhidos documentos e relatórios.

Caminhão ficou destruído depois de bater em hélice de helicóptero, em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

O inquérito deve ser concluído em 30 dias, conforme prazo estipulado pelos promotores Patrícia Paula dos Santos e Antônio Alceste Callil Castro, responsáveis pelas investigações.

A promotoria de Justiça deve acompanhar uma perícia que ocorre no helicóptero e caminhão, prevista para esta quinta-feira (23).

Relembre o caso

A hélice do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) bateu em um caminhão que seguia na BR-364, na região do Segundo Distrito de Rio Branco, no sábado (18). Um vídeo mostra o momento exato do acidente.

A promotora de Justiça deverá acompanhar a perícia que será realizada nos veículos (helicóptero e caminhão), que ainda se encontram no local do acidente, marcada para acontecer nesta quinta-feira, 23.

No dia do acidente, o secretário de Segurança em exercício, Ricardo Brandão, informou, em nota, que a aeronave estava em atividade fazendo parte de uma operação da Secretaria de Segurança Pública, a Operação Fecha Fronteira, que tem como foco coibir ações criminosas nas região do Segundo Distrito da Capital, motivo pelo qual a aeronave estava parada no local e que foram seguidos os procedimentos de segurança adequados.

Na aeronave havia cinco pessoas, dois comandantes e três tripulantes. Dois dos tripulantes tiveram ferimentos leves, assim como o motorista do caminhão. Eles foram encaminhados para o pronto-socorro da capital acreana.

Em nota, no início desta semana, o Cenipa informou que os investigadores iniciaram o processo que levanta todos os dados do acidente como: fotos, partes da aeronave, documentos e depoimentos dos envolvidos.

“A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Cenipa terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”, destaca a nota.

Comentários