Os dois caminhões com cerca de 16 bois e os envolvidos no momento foram conduzidos para a delegacia.

O episódio da detenção do gado pelos policiais do 10º Batalhão da PM do Alto Acre, ainda está sendo desenrolada na fronteira do Acre, fato ocorrido na noite desta quarta-feira, dia 29, quando receberam denuncias de furto de gado de uma fazenda localizada no Ramal da Torre.

Dois pequenos caminhões, juntamente com os motoristas e mais duas pessoas, foram detidas no ramal e conduzidos à delegacia, após constatarem que não portavam o documento de transporte de animais (GTA), e entrarem em contradição em seus depoimentos aos policiais. Na delegacia, todos foram ouvidos.

Os motoristas foram multados e liberados para responderem administrativamente pelo transporte ilegal de animais, além dos outros dois. O capataz que gerenciava o gado e os peões identificado como Cleone Pereira da Silva, está sumido desde o episódio e trabalha na fazenda a cerca dois anos. Está sendo procurado pelo gerente geral, senhor Antônio Augusto, para esclarecer os fatos.

Gado apreendido foi posto em um curral até o desenrolar dos fatos.

“Na noite de quarta-feira (29), foram roubados 16 bois da fazenda, e o capataz senhor Cleone está desaparecido desde então. Estou registrando uma ocorrência na delegacia pelo fato dele ter sumido da fazenda junto com a sua esposa e os filhos. Temos testemunhas que ele não tem dormido no seu trabalho e nem atende telefone desde a ocorrência”, disse.

Diante dos fatos, Seu Antônio esteve na delegacia e no 10º Batalhão da PM, esclarecendo que ele é o gerente geral e não foi preso, e o funcionário Cleone, seria a pessoa que gerenciava os peões e o gado, que foi detido e liberado depois do fato registrado na noite de terça-feira, dia 29. O capataz está sendo procurado para dar esclarecimentos tanto na fazenda, quanto na delegacia posteriormente.

 

Comentários