Do ac24horas

Os quatro candidatos ao governo do Acre votaram hoje pela manhã em Rio Branco. Primeiro a ir à urna, o candidato Tião Bocalom (DEM) votou na escola Serafim Salgado, na Baixada da Sobral, acompanhado de sua esposa Bete. Bocalom disse em entrevista que acredita que poderá vencer as eleições ainda no primeiro turno.

IMG-20141005-WA0017

“Esta eleição é o segundo turno de 2010. Apesar da estrutura que mostra que estamos numa disputa de Davi contra Golias, acredito que a população poderá nos dar uma vitória no primeiro turno”, diz Bocalom.

O candidato a governador pelo PSOL, Antônio Rocha, votou no SESC, no centro da cidade, por volta das 09h50.
Com poucas pessoas na fila, Rocha não demorou para votar. Ao sair, o socialista cumprimento os eleitores e afirmou que está confiante na vitória.

antônio rocha

“Minha campanha foi limpa e baseada nas propostas. Estou muito feliz e quero agradecer o apoio de todos”, disse Rocha.

Bastante empolgado, o candidato tucano ao Governo do Acre, Márcio Bittar compareceu a 194º Seção Eleitoral para exercer o direito do voto. Ele estava acompanhado da esposa Márcia Bittar e dos filhos Paula e João Bittar, que também votam na mesma seção.

IMG-20141005-WA0036

Ao conceder entrevista à imprensa, Márcio Bittar agradeceu o empenho da militância e disse ter certeza do 2º Turno ao lado do presidenciável Aécio Neves, candidato à presidência da República. “Nossa campanha cresceu muito nessa reta final e tenho certeza que o povo dará a oportunidade de propormos com mais clareza e contundência nosso projeto para o Acre e Brasil”, afirmou o tucano.

Após uma 1h40 minutos na fila, o candidato à reeleição Sebastião Viana, do PT, votou na seção 224, na Ufac. Antes de se dirigir a urna, o petista demorou mais um minuto na identificação biométrica. O candidato votou acompanhado da filha Catarina.

unnamed

Na saída, Sebastião disse à imprensa, que espera ser eleito no primeiro turno, mas que “isso cabe à autoridade do eleitor”.

“Espero ser eleito no primeiro turno. Tenho enorme esperança com muita humildade, mas isso cabe à autoridade do eleitor”, disse.

Comentários