A tarde desta sexta-feira, 14, no auditório do Sebrae, foi marcada por mais um encontro da Câmara Temática do Agronegócio, espaço que faz parte do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre e que reúne representantes do setor governamental estadual e federal, além do setor produtivo e outras entidades de apoio.

O Fórum é uma articulação que reúne diferentes setores da sociedade com o intuito de debater e alinhar, coletivamente, estratégias para impulsionar o desenvolvimento local. Enquanto a Câmara Temática do Agronegócio é um órgão consultivo que propicia consistência e agilidade na busca das melhores alternativas de soluções para o desenvolvimento econômico do Acre. E nesta data, entre diversos temas, os principais debatidos foram os avanços em tornar o Acre zona livre de aftosa sem vacinação e a criação da Zona Especial para o Desenvolvimento Agropecuário dos Estados do Acre, Amazonas e Rondônia (Amacro).

Governo, setor produtivo e entidades da área se reuniram para dar encaminhamentos no desenvolvimento do Acre Foto: Samuel Bryan/Secom

“Esses são dois pontos importantes que foram estabelecidos como meta da Câmara Técnica e que andaram bem. Avançamos muito nisso com a união das instituições e, de modo geral, a Câmara mostrou um trabalho bem consistente, teve sucesso, está alcançando as metas e vamos chegar no final do processo com um projeto bem consolidado sobre os rumos do desenvolvimento do agronegócio”, conta o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Acre (Faeac) e coordenador da Câmara, Assuero Doca Veronez.

Representando o Governo do Acre, o secretário de Produção e Agronegócio (Sepa), Edivan Azevedo, destacou que a oportunidade de finalmente criar a Amacro é abraçada pelo governador Gladson Cameli e conta com o apoio integral da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina.

“Essa é uma região que tem expectativas de produção em comum. A Amacro vem para promover um desenvolvimento a partir de ações conjuntas entre os três estados, com políticas em comum para alavancar a produção regional e assim gerar o crescimento do agronegócio, tudo isso numa parceria entre governo e iniciativa privada”, destaca o secretário.

O presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), Rogério Melo, também esteve presente e ressaltou que o Acre está concluindo os processos de padronização de defesa animal, fazendo aquisição de materiais e contratação de pessoas, seguindo corretamente o cronograma das ações necessárias para que o estado se torne zona livre de aftosa sem vacinação com a auditoria pelo Mapa já em março.

Também estiveram em destaque no encontro da Câmara a necessidade do aumento do armazenamento e processamento de grãos, a assistência técnica para pequenos e médios produtores e diversos outros temas do setor.

Integram ainda o Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre a Fieac, Fecomércio, Federacre, Sebrae/AC, Ufac, Ifac, Embrapa, IBGE, Amac, Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Caixa Econômica Federal.

Comentários