Mário Jorge Fiesca, vereador de Brasiléia reeleito pelo PMDB – Foto: Divulgação

A Mesa Diretora da Câmara de Brasiléia decretou nessa terça-feira (02) a extinção de mandato de vereador de Mário Jorge Fiesca (PMBD) e consecutivamente a vacância do cargo após ele sofrer penalidade de cassação do registro de candidatura e inelegibilidade conforme decisão judicial.

Fiesca que era presidente da Câmara em 2016 foi denunciado por praticar captação ilícita de sufrágio, prática em que consistia no fornecimento de medicamentos aos eleitores, em especial pessoas carentes e com baixo poder aquisitivo. O Ministério Público do Acre já havia ajuizado a presente Ação de Investigação Judicial Eleitoral.

A votação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) findou por quatro votos favoráveis e um contra a cassação do mandato de Fiesca. O relator do processo requereu a condenação pela prática de abuso de poder econômico e capacitação ilícita de sufrágio, com aplicação de multa bem como inelegibilidade pelo período de 08 (oito) anos subsequentes à eleição a última eleição.

Francisco Valadares Neto também do PMDB vai assumir como vereador suplente. Sua posse está marcada para acontecer na próxima terça-feira (09). O decreto de cassação e vacância do cargo de vereador bem como a convocação para a posse de Francisco foi publicado no Diário Oficial dessa quarta-feira (03).

Comentários