A Caixa Econômica Federal vai ampliar o acesso ao crédito rural para milhares de agricultores, medida que pode ajudar na recuperação da economia.

Produzido por Rudá Moreira, da CNN em Brasília

Pedro Guimarães, presidente da instituição, explicou que a Caixa vai disponibilizar R$ 12 bilhões para os agricultores com novas linhas de crédito.

“Antes de nós assumirmos [a operação do banco], a Caixa emprestava R$ 3 bilhões. Aumentamos em 54 vezes o total e vamos até 2023 emprestar R$ 40 bilhões nesse segmento do agro”, disse.

O trabalho, esclareceu Guimarães, começou em dezembro do ano passado. “Já antecipando a próxima safra, que sempre começa no meio do ano. Dos R$ 12 bilhões, já emprestamos R$ 8 [bilhões], e estamos pensando que até abril já teremos 100% dos R$ 12 bilhões ofertados para, de novo, a próxima safra, no meio de 2021.”

Ainda de acordo com o presidente da Caixa, se for capital de giro, o agricultor que tomou crédito terá um ano para pagar. Na parte de investimentos, a instituição tem linhas de 10 a 15 anos.

“E essas são o foco da Caixa porque é onde cria valor para o agricultor, como a construção de silos, correção de solos. [São] R$ 8 bilhões no investimento e R$ 4 bilhões no custeio, e ano que vem vamos aumentar ainda mais chegando aos R$ 40 bilhões na safra de 2023.”

Além disso, a Caixa vai abrir 21 agências especializadas para atender exclusivamente o produtor rural, mas é possível que o número seja ainda maior no futuro. “Tudo depende da demanda ou do relacionamento que até então era pouco relevante e nós queremos ampliar.”

Comentários