O Corpo de Bombeiros encerrou as buscas pelo professor Gleisson Oliveira, de 33 anos, às 18h desta sexta-feira (13), em Cruzeiro do Sul. Desde que ele sumiu nas águas do Rio Juruá, foram feitas mais de 120 horas de buscas entre mergulhos e buscas superficiais.

A informação foi confirmada pelo comandante do Corpo de Bombeiros de Cruzeiro do Sul, tenente José Oliveira. Segundo ele, mesmo após o encerramento, a guarnição vai continuar a postos para, caso chegue alguma informação sobre o possível paradeiro do professor, a corporação volte a fazer busca.

O professor desapareceu no rio na madrugada de segunda-feira (9), quando tomava banho com duas meninas. Oliveira sumiu no trecho da travessia da balsa entre os municípios de Cruzeiro do Sul e Rodrigues Alves.

Quatro mergulhadores fizeram buscas desde o desaparecimento do professor em uma extensão de cerca de mil metros do local do acidente por três dias e depois foram mais dois dias de buscas superficiais.

Para ajudar nas buscas, os bombeiros também contaram com o apoio da Marinha no controle do fluxo das embarcações nos locais de mergulho da equipe de buscas. Uma ossada foi encontrada às margens do rio na sexta-feira (13), mas segundo os bombeiros, não é do professor.

“Fizemos 72 horas de mergulho em uma extensão de varredura de cerca de um quilômetro e 48 horas de busca superficial entre a Ponte da União e o local no porto de Rodrigues Alves, onde o rapaz sumiu, mas, infelizmente, ele não foi localizado”, disse o comandante.

Comentários