Conecte-se conosco

Geral

BNDES voltará a financiar projetos em países vizinhos, diz Lula

Publicado

em

Presidente deu a declaração em evento com empresários na Argentina

Após anos de proibição, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltará a financiar projetos de desenvolvimento e de engenharia em países vizinhos, disse hoje (23) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele deu a declaração acompanhado do presidente argentino, Alberto Fernández, em encontro com empresários brasileiros e argentinos durante a viagem a Buenos Aires.

Segundo Lula, a atuação do banco de fomento é importante para garantir o protagonismo do Brasil no financiamento de grandes empreendimentos e no desenvolvimento da América Latina.

“Eu vou dizer para vocês uma coisa. O BNDES vai voltar a financiar as relações comerciais do Brasil e vai voltar a financiar projetos de engenharia para ajudar empresas brasileiras no exterior e para ajudar que os países vizinhos possam crescer e até vender o resultado desse enriquecimento para um país como o Brasil. O Brasil não pode ficar distante. O Brasil não pode se apequenar”, declarou Lula.

No discurso, o presidente também defendeu que o BNDES empreste mais. “Faz exatamente quatro anos em que o BNDES não empresta dinheiro para desenvolvimento porque todo dinheiro do BNDES é voltado para o Tesouro, que quer receber o empréstimo que foi feito. Então, o Brasil também parou de crescer. O Brasil parou de se desenvolver e o Brasil parou de compartilhar a possibilidade de crescimento com outros países”, disse.

No governo anterior, o BNDES fez auditorias em financiamentos a países latino-americanos na década passada e divulgou o resultado numa página especial no site da instituição na internet. As investigações não encontraram irregularidades.

Relação bilateral

Ao lado de Fernández, Lula destacou a importância da relação bilateral entre o Brasil e a Argentina. O país é o terceiro maior destino das exportações brasileiras e o principal mercado dentro da América Latina. Por sua vez, o Brasil é o país de onde os argentinos mais compram. O comércio concentra-se na compra de trigo argentino pelo Brasil e na venda de automóveis e peças de veículos dos brasileiros para o país vizinho.

“A Argentina é, em toda a América Latina, o principal parceiro comercial do Brasil. A Argentina e Brasil tinham um comércio maior do que Brasil e Itália, maior do que Brasil e Inglaterra, maior do que Brasil e França, maior do que Brasil e Rússia, maior do que Brasil e Índia”, declarou Lula.

Durante o evento, Lula disse que a posição da Argentina no comércio exterior precisa ser valorizada. “A Argentina é o terceiro parceiro comercial do Brasil, só perde para a China e para os Estados Unidos. Isso tem que ser valorizado. Isso só pode ser valorizado, não por conta dos presidentes, mas por conta dos empresários. São vocês [os empresários] que sabem fazer negócio, que sabem negociar”, acrescentou o presidente brasileiro.

Do lado argentino, Alberto Fernández saudou a retomada das conversações em alto nível entre as duas nações. “O que nós estamos fazendo é voltar a fazer com que os vínculos Brasil e Argentina voltem a funcionar, vínculos esses que foram prejudicados”.

Os dois presidentes ainda receberam um documento conjunto elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a União Industrial Argentina (UIA) com propostas para impulsionar as relações comerciais entre os dois países, e com outros parceiros comerciais, especialmente a partir do Mercosul.

Moeda comum

Antes do evento com empresários, Lula reuniu-se com Fernández. Na saída do encontro, disse que os dois países estão trabalhando o projeto de moeda comum, que funcionaria como uma câmara de compensação digital que reduziria a necessidade de dólares nas trocas comerciais entre Brasil e Argentina.

“Acho que, com o tempo, isso [a moeda comum] vai acontecer, e é necessário que aconteça. Se dependesse de mim, a gente teria comércio exterior sempre nas moedas dos outros países, para que a gente não precise ficar dependendo do dólar. Por que não tentar criar uma moeda comum entre os dois países, com países do Brics [grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul]?”, disse Lula.

A moeda comum seria uma unidade de valor atrelada ao peso argentino e ao real, mas não implicaria uma moeda única, com cada país mantendo a sua moeda. Na visita à Argentina, ficou acertado que os dois países criarão um grupo de trabalho para analisar a viabilidade da moeda comum, com análises que levarão anos. Segundo Lula, um eventual projeto só será apresentado “depois de muitos debates e reuniões”.

Financiamento especial

Durante a viagem, será apresentada a proposta de um mecanismo de financiamento às exportações de manufaturados do Brasil para a Argentina. Bancos brasileiros públicos e privados concederiam empréstimos em reais para importadores argentinos que comprarem produtos industrializados do Brasil. O banco brasileiro adiantaria o dinheiro ao vendedor e cobraria do comprador argentino.

Os dois países forneceriam garantias (recursos para cobrir eventuais calotes e impedir que os juros subam). O Tesouro Nacional usaria recursos do Fundo Garantidor às Exportações. Os financiamentos só seriam liberados quando a Argentina oferecer a quantia equivalente em reais, por meio de títulos ou contratos com circulação internacional depositados nos Estados Unidos, na Inglaterra ou no Brasil.

O mecanismo funcionaria em moldes semelhantes aos financiamentos concedidos pela China aos importadores argentinos desde 2019. A diferença é que o país asiático fornece contratos de swap (troca de moedas), que passam pelos bancos centrais da China e da Argentina.

Comentários

Geral

Segurança Pública: Alan Rick reforça compromisso em reunião com Coronel Gaia

Publicado

em

Para o Orçamento de 2023, o Senador Eleito indicou R$ 10 milhões, que serão distribuídos para todas as forças de segurança do Estado.

Alan Rick é o parlamentar que mais destinou recursos para a Segurança Pública do Acre. Desde seu primeiro mandato, em 2015, já foram R$ 28 milhões indicados. Nesta quinta-feira, 26, o Senador eleito se reuniu com o novo Secretário de Estado de Segurança Pública, Coronel Américo Gaia, para reforçar o compromisso com o setor.

Para o Orçamento de 2023, o Senador eleito destinou R$ 10 milhões de emenda de Bancada que, conforme ele, já tem destino certo. “Ainda na gestão do ex-secretário Paulo Cezar, a SEJUSP definiu estrategicamente, junto aos órgãos de segurança, a distribuição desses recursos. Serão usados para atender as demandas mais emergenciais das Polícias Civil, Militar, do Instituto de Administração Penitenciária – IAPEN, Detran, Instituto Socioeducativo – ISE, e da própria SEJUSP”, adiantou Alan.

O Secretário falou da importância do apoio do Senador. “Esse recurso vindo de fora é muito importante, porque permite realizar ações sem precisar mexer no Orçamento do Estado, que muitas vezes está aquém do necessário. Esse aporte do Senador Alan será investido tanto para a qualificação do corpo técnico quanto para a aquisição de equipamentos, armamentos e de tecnologia”, informou o Coronel Gaia.

Alan Rick aproveitou o encontro para convidar o Secretário para a cerimônia de posse como Senador da República, marcada para a próxima quarta-feira, dia 01, em Brasília. Em novembro, quando o Coronel Gaia respondia pela Diretoria da Força Nacional de Segurança Pública, o então Deputado Federal Alan Rick foi condecorado com a Medalha do Mérito da Força Nacional, indicado pelo Tenente Coronel Michel Casagrande.

“Graças aos recursos destinados pelo Senador, foi possível implantar e expandir o Cerco Eletrônico no Acre, além de realizar diversas ações de fortalecimento de todas as nossas forças de segurança. Essa medalha foi um reconhecimento pelos serviços prestados a esse setor tão importante”, explicou Casagrande, que também participou da reunião desta quinta-feira.

Comentários

Continue lendo

Geral

Prefeitura de Rio Branco anuncia mudança no trânsito em parte da Rua Isaura Parente

Publicado

em

Trecho da rua Isaura Parente que terá o fluxo modificado (Foto: Val Fernandes/Assecom)

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans), anunciou nesta sexta-feira (27), mudanças no sentido de um trecho da Rua Isaura Parente, especificamente em frente ao Sesi, que entram em vigor na próxima quinta-feira (2).

Para ter acesso ao Complexo Escolar e de Esportes Sesi o motorista que estiver sentido bairro/centro, deverá fazer a conversão à direita entrando na rua Longuinho da Silva e logo em seguida virar à esquerda na Major Martins e novamente pegar a primeira rua à esquerda Maria da Conceição. (veja a imagem)

Vale ressaltar que as ruas Longuinho da Silva e Maria da Conceição terão o seu sentido único. Segundo o superintendente da RBTrans, Benício Dias, a capital acreana tem crescido nos últimos anos comportando, atualmente, uma frota de 200 mil veículos trafegando diariamente, por isso para que seja mantida a acessibilidade, como explicou o gestor.

“O Sesi executou uma grande obra e então vimos a necessidade de realizar a instalação de semáforos e faixas de pedestres. A rua Isaura Parente continuará com o fluxo normal. A proibição de conversão à esquerda é só para quem vai acessar o Sesi vindo no sentido bairro-centro pela via”, explicou.

O superintendente enfatizou ainda que todo trecho já está com as sinalizações e semáforos instalados e que no dia 2 de fevereiro, as equipes de educadores de trânsito da RBTrans estarão no local orientando a nova rota a ser seguida.

Comentários

Continue lendo

Geral

Educação de Jovens e Adultos está com matrículas abertas

Publicado

em

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação Cultura e Esportes (SEE), informa à população acreana que as matrículas para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) estão abertas em todo o estado, nas escolas urbanas e rurais que ofertam a modalidade.

A renovação de matrícula dos alunos das escolas públicas estaduais na modalidade EJA se iniciou dia 23 e vai até o dia 3 de fevereiro. Para os novos alunos, a matrícula será de 6 a 28 de fevereiro.

A renovação de matrícula iniciou dia 23 e vai até o dia 3 de fevereiro. Foto: Mardilson Gomes/SEE

Os interessados devem se dirigir às instituições de ensino que ofertam esse atendimento, portando originais e cópias de documento de identificação, comprovante de residência e histórico escolar para efetuar a matrícula.

Podem optar por essa modalidade de ensino pessoas a partir dos 15 anos de idade, que não fizeram ou não concluíram os anos iniciais e finais do ensino fundamental que corresponde ao (EJA I e II) e de 18 anos para o ensino médio (EJA III).

Os anos iniciais do Ensino Fundamental são organizados em três módulos e podem ser concluídos no período de um ano e meio.  Os anos finais do Ensino Fundamental possuem cinco módulos e conclusão de dois anos e meio. Já o Ensino Médio é divido em quatro módulos e pode ser concluído em dois anos.

“Convidamos a todos aqueles que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos, que procurem uma escola e realize a sua matrícula. Retomar os estudos é muito importante e cria novas oportunidades e possibilidades tanto para iniciar um curso superior quanto para entrar no mercado de trabalho”, destacou o chefe da Divisão de EJA da SEE, Jessé Dantas de Souza.

As pessoas que se formam nessa modalidade de educação, assim como as formadas pelo ensino regular, podem apresentar excelente desempenho no mercado de trabalho, assim como na continuidade dos estudos, inclusive no ensino superior.

Confira a lista das escolas que ofertam EJA no estado

Comentários

Continue lendo

Em alta