Ela é uma mulher de fibra, o que se pode chamar de uma mãe exemplar.

Mãe de sete filhos sendo três homens e quatro mulheres avó de 23 netos e 12 bisnetos, Como toda boa acreana, é filha de nordestino. Passou boa parte de sua vida morando nos seringais da Bolívia onde seu esposo senhor Rubens Alves de Brito trabalhava como extrativista, mas durante suas andanças, muda daqui, vai pra lá, volta pra cá , ensinava para suas filhas tudo que havia aprendido e herdado de sua mãe, bordar, costurar, cozinhar… e sempre nos  dizia que uma mulher tinha que ser prendada. Para os meninos ensinava-lhes boas maneiras.

Dizia sempre que a virtude de um homem estava no seu caráter, dignidade e responsabilidade. Dona Maria Virginia Mourão de Brito. Para os amigos dona vivi, tinha muitos propósitos na vida. Más dentre eles tinha um  que julgava prioritário. Era o de colocar seus filhos na escola, ‘como costumava dizer” dizia sempre “UM DIA DAREI AOS MEUS FILHOS” a oportunidade que não tive.

Muitos anos se passaram até que no dia oito de janeiro de 1978  mudou-se para a  cidade de Epitaciolândia e realizou seu grande sonho; colocou seus filhos na escola  e como ela mesmo dizia, botou o pé no batente e danou a costurar para os comerciantes locais daquela época , Casa Castro, Casa Neto. Dentre outras , dona vivi Confeccionava camisas e calças curinga para os seringueiros e castanheiros dos seringalistas daquela época bem como lindos vestidos para as madames da cidade, varando noite adentro a luz de uma lamparina, pois tinha que ter todos os santos dias o “dinheirinho” para que seus filhos pudessem pagar  a catraia e chegarem à escola em Brasiléia.

Mas ela nunca esmoreceu, e chegou lá; junto com sua filha Anacele Assis tornou-se  empresária do ramo das confecções e malharias. Sendo a primeira a  implementar este ramo comercial neste Município. Dona Vivi não tem o saber formal dos bancos de escolas, mas sua  inteligência e sabedoria é tamanha e admirável que hoje aos 80 anos de idade linda e maravilhosa  como todos podem admirá-la, dona vivi traz consigo o orgulho de ver todos os seu filhos “educados” palavras dela, É… MÃEZINHA você conseguiu; teve a honra de entregar vários diplomas nas mais diversas áreas de nível superior, Biologia, matemática, pedagogia, Letras, Direito, Economia e ainda tem mais, o seu sonho de ter um médico se concretizou através de suas netas Thamiris e Kamila, e com certeza mãezinha a senhora ainda vai ter que entregar muitos diplomas.

Mãe

Por tudo isso que você nos ensinou e nos deu na sua mais sublime humildade, é que eu: Aucinete e meus irmãos Anacelle (Celha), Antonio Aucélio (Magal), Francisca (Mira), Adison Natal e Vânia Lucia e todos os seus netos(as) e bisnetos(as) noras e genros não podíamos deixar de homenageá-la contando um pouco de sua história.

Mãe

Sem você nós não seriamos o que somos, obrigada pelo seu amor e sua sabedoria; você sabe que é muito amada, E  que sua perseverança  sirva de exemplo para outras  mães…

Comentários