Aulas de artes marciais não podem ter contato durante a pandemia — Foto: Rede Amazônica Acre/Arquivo

Após a reabertura das academias de ginásticas, foi a vez das aulas de artes marciais serem liberadas durante a pandemia do novo coronavírus. As aulas retornam sem contato físico, limite de pessoas, reforço na higienização e outros protocolos de segurança. O Acre tem mais de 24 mil casos de Covid-19.

No último dia 21, o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 alterou a resolução que dispõe sobre a reabertura dos setores e atividades durante a pandemia e liberou o funcionamento das academias de ginásticas no Acre.

A reabertura das academias estava prevista apenas durante a faixa de cuidado, representada pela cor verde, no planejamento montado pelo próprio comitê. Atualmente, o Acre se encontra na faixa de atenção, na cor amarela.

Ao G1, o coordenador do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 de Rio Branco, Osvaldo Legal, explicou que se reuniu com representantes da categoria na quarta-feira (26) para ajustar o protocolo das academias de artes marciais para o mesmo das academias de ginásticas

“Na decisão, a parte de combate estava proibida a gente conversou com eles para fazer esse ajuste e inserir no protocolo das academias. Vai funcionar com no máximo 30 pessoas no local, não tem combate entre as pessoas, vão utilizar bonecos e vão fazer os exercícios de luta individuais”, contou.

Leal acrescentou que houve a necessidade de o ajuste após os representantes da categoria das artes marciais reclamarem que não estavam inseridos no protocolo de liberação.

“Têm outros parâmetros e exercícios. Precisam ter limpeza nos equipamentos e se tiver algum tipo de luta vão utilizar bonecos e simuladores. Fechamos o protocolo na quarta de manhã, em reunião, e a orientação de adequação começou depois disso”, reforçou.

Comentários