Motorista foi achado morto com as mãos e pés amarrados e sem roupas em estrada no Acre — Foto: Arquivo pessoal

Centenas de motoristas de Uber realizaram na tarde deste sábado, 03, uma carreata pelas principais ruas de Rio Branco em protesto contra a morte brutal de Alberto Silva, motorista que trabalhava com o aplicativo e foi encontrado morto com um tiro na cabeça e marcas de tortura, no KM-12 do ramal do Mutum, zona rural da capital.

Alberto estava desaparecido desde a terça-feira passada. Familiares chegaram a fazer uma campanha pelas redes sociais à procura dele, mas a notícia desagradável veio hoje pela manhã.

 

O corpo do motorista é velado na Igreja Yaweh Shammah no bairro Jorge Lavocart, região alta de Rio Branco. Durante toda a tarde motoristas de Uber compareceram à cerimônia fúnebre.

Tiago Farias, que trabalha há mais de um ano com aplicativo de passageiros, lamentou a morte do colega.

“A gente se sente indefeso sem segurança pública. a gente vê que os órgãos que os órgãos competentes para combater a violência nos bairros praticamente não existem no nosso Estado.”

 

Comentários