deputado

O deputado Antonio Pedro (DEM) comentou sobre a greve dos servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) no Acre. Ele ressaltou que devido à paralisação muitos empresários estão tendo prejuízos financeiros devido à falta de mercadorias em seus empreendimentos.

“A greve dos servidores da Suframa já passa de 26 dias e enquanto não se chega a uma resolução, os caminhoneiros fazem fila em frente à sede da autarquia em Rio Branco, porque estão impossibilitados de entregar as mercadorias. Tudo isso tem gerado grande prejuízo aos empresários e também a população”, falou o deputado ao frisa também que mais de 200 carretas estão paradas na Suframa por conta da greve.

O parlamentar salientou também que os comerciantes estão temerosos quanto ao vencimento das duplicatas, haja vista que compraram as mercadorias, mas não puderam revendê-las.

“Como esses comerciantes irão pagar as duplicatas se nem conseguiram colocar as mercadorias a venda? Não puderam gerar lucro para poder quitar com suas obrigações. Entendo os motivos que levaram esses servidores a deflagrarem a greve, mas acho que já está na hora de se chegar a um entendimento, pois, o direito de ir vir das pessoas já estão sendo prejudicados”, pontuou.

Ele destacou que uma das reivindicações dos grevistas para retomar as atividades na Autarquia seria a derrubada do veto da Medida Provisória 660, referente ao Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) dos servidores.

“Durante uma reunião realizada na última segunda-feira, 15, o vice-presidente do Sindicato dos Funcionários da Suframa (Sindframa), Renato Santos, afirmou que uma das condições para que os servidores voltem ao trabalho seria a derrubada dessa Medida Provisória que trata sobre os PCCR dos servidores. Caso o veto não seja derrubado, os servidores da Suframa permanecerão em greve por tempo indeterminado”, afirma.

Por fim, o deputado pediu que os deputados federais e senadores possam estar se reunidos com os servidores da Suframa a fim de encontrar uma forma viável para solucionar o empasse.

(Assessoria)

 

 

Comentários