fbpx
Conecte-se conosco

Brasil

Amor em Portugal: o encantador casamento de Vitória Cruz e Paulo Henrique

Publicado

em

Amor em Portugal: o encantador casamento de Vitória Cruz e Paulo Henrique
Pedro Reis

Amor em Portugal: o encantador casamento de Vitória Cruz e Paulo Henrique

Portugal foi o cenário de um evento que combinou elegância, romance e um toque de história. A médica Vitória Cruz e o empresário Paulo Henrique oficializaram sua união em uma série de encontros que encantaram os convidados.

Na véspera do casamento, as comemorações começaram com um requintado chá da tarde na varanda do Palácio de Seteais , onde eles e os familiares se hospedaram. Os convidados, que em sua maioria viajaram de Brasília, foram recebidos com um brinde de boas-vindas.

A noiva, vestindo um elegante modelo Valentino, agradeceu emocionada a presença de todos. “Visitamos o Palácio de Seteais há três anos, ainda não estávamos noivos. Quando eu vi o lugar me apaixonei e falei com o PH que iríamos nos casar ali! Desde então, sonhamos várias vezes com esse dia” , revelou. O chá foi marcado por momentos de oração e discursos que estabeleceram o tom íntimo e afetuoso das celebrações.

O Palácio de Seteais foi construído no final do século XVIII pelo Cônsul holandês Daniel Gildemeester, que enriqueceu com o monopólio da exportação de diamantes concedido pelo Marquês de Pombal. Após a morte de Gildemeester em 1793, a propriedade foi adquirida pelo 5º Marquês de Marialva, que reformou extensivamente o palácio. A família Marialva deteve a propriedade até o início do século XIX, quando passou por diversas heranças até ser adquirida pelo Conde de Sucena em 1918. Em 1946, o Estado Português comprou o palácio e o converteu em um hotel de luxo, que funciona até hoje.

No grande dia, a história e a beleza se encontraram na Igreja de São Martinho, uma construção de mais de 800 anos que sobreviveu a um terremoto e foi reconstruída, mantendo seu charme histórico.

Vitória, deslumbrante em um vestido de Wanda Borges, caminhou até o altar com um bouquet de flores muguet, acompanhada por seu pai. Paulo Henrique, em um impecável terno sob medida de Valdir Camargo, aguardava ansioso. A cerimônia religiosa, em meio às paredes repletas de história, foi um momento de grande emoção e significado.

Após a cerimônia, realizada às 16h30, os convidados foram recebidos nos jardins frontais do palácio, fechado exclusivamente para o evento. O casal surgiu descendo pelo portal neoclássico, sendo calorosamente aplaudido. No jardim, os convidados permaneceram até o cair do sol, por volta de 20h, apreciando a atmosfera mágica do local.

Posteriormente, todos se dirigiram para os salões de jantar do palácio, onde um coquetel sofisticado deu início à recepção. A decoração, repleta de flores da estação, acompanhava o clima do espaço, ambientado com mobiliário original da época. Castiçais de prata, lustres de cristal, tapetes clássicos Aubusson, e paredes ricamente pintadas com motivos florais compunham o cenário.

O jantar à francesa no salão do hotel foi uma experiência gastronômica inesquecível. O menu impecável incluía uma entrada de salada de lagosta com emulsão de lima, robalo braseado com camarão como prato principal de peixe, e lombo de novilho com batata au gratin como prato principal de carne. Para a sobremesa, uma delícia de três chocolates servida com gelado de nata e coulis de caramelo. As bebidas servidas, como o champanhe Veuve Clicquot Ponsardin Brut 2020 e o Pêra-Manca Branco 2019, foram um grande sucesso entre os convidados.

Os noivos mantiveram a tradição europeia do casamento e sentaram-se numa mesa frontal aos convidados, acompanhados por quatro casais de padrinhos, os amigos mais íntimos de Vitória e Paulo Henrique. Em um momento de entrega, os pais dos noivos, Paulo Araújo e Agenor Neto, pediram a palavra para o discurso final. Entre lágrimas, memórias, homenagens e perspectivas de futuro, a bênção dos patriarcas à nova família que se formava emocionou a todos.

A festa, animada pelo DJ Lipe Napoli, prolongou a alegria até altas horas. A pista de dança foi o ponto alto da noite, com todos os convidados se divertindo e comemorando o amor do casal.

No dia seguinte, a celebração continuou no restaurante JNcQUOI, no Salão Frou Frou. A after party foi uma descontraída confraternização onde todos relembraram os momentos especiais do casamento. Vitória, agora em um vestido deslumbrante da Des Phemmes, e Paulo Henrique, com um terno sob medida de Ricardo Almeida, estavam radiantes.

A comida típica asiática foi muito elogiada, especialmente os drinks autorais do restaurante, como o espresso martini, moscow mule, negroni, e o martini de laranja, que se tornou o favorito entre os convidados. A noite foi ainda mais especial com duas atrações de destaque: a drag queen Miss Frou Frou, que animou e interagiu com os convidados durante o jantar, e um talentoso mágico que deixou a todos maravilhados com suas performances. A música ficou por conta da DJ residente do JNcQUOI, que manteve a animação em alta durante toda a festa.

Vitória resumiu o sentimento do casal em uma emocionante declaração ao GPS: “Esses dias foram realmente maravilhosos, mágicos, proporcionando-nos uma sensação de amor imenso por todas as pessoas que mais amamos na vida. Nos sentimos muito amados e prestigiados por todos os convidados terem vindo até Portugal para celebrar o nosso amor. Foi realmente uma sensação única e estamos muito felizes, pois é um sonho realizado.”

A união de Vitória Cruz e Paulo Henrique foi mais do que um casamento; foi a concretização de um sonho, cuidadosamente planejado e vivido intensamente por todos os presentes. Que esse amor, celebrado com tanto carinho e elegância, continue a florescer com a mesma intensidade.

The post Amor em Portugal: o encantador casamento de Vitória Cruz e Paulo Henrique first appeared on GPS Brasília – Portal de Notícias do DF .

Fonte: Nacional

Comentários

Continue lendo

Brasil

Ronaldo Angelim e Taça Libertadores virão ao Acre para festa de torcida do Flamengo

Publicado

em

Taça da Libertadores, vai sair do Museu do Flamengo

, com dois funcionários do clube que fazem sua guarda. Ela ficará disposta no evento para uma sessão de fotos, mas não deve ser tocada. O troféu foi dado ao Flamengo depois de uma final emocionante contra o Athetico Paranaense, em 2022, que acabou em 1×0 para o time do Rio de Janeiro.

Ronaldo Angelim está na história do Flamengo. Foi dele o gol do título de Campeão Brasileiro de 9 de dezembro de 2009, quando fez um gol de cabeça.

O consulado oficial do Clube de Regatas do Flamengo no Acre, Acreflanáticos, anunciou um evento de comemoração aos 9 anos da torcida organizada no estado com a presença do ídolo do clube, Ronaldo Angelim, e da Taça oficial da Conmebol Libertadores 2022. O evento será realizado no dia 23 de junho, domingo, a partir das 10h, no bar e petiscaria Brazin, em Rio Branco.

De acordo com o presidente da Acreflanáticos, Léo Paladino, a organização espera receber mais de 400 pessoas durante o dia, num evento fechado, com o oferecimento de bebidas, variedade de comidas e apresentações dos grupos musicais Samba Groove e Vibe 68.

“O bar vai estar com variedade de bebidas e alimentações e nós esperamos aproximar o torcedor do Flamengo no Acre, que fica tão isolado do seu clube que joga nos grandes centros urbanos. Esperamos o comparecimento de todos para prestigiar Ronaldo Angelim, a Taça da Libertadores, e de quebra assistir ao jogo do Flamengo contra o Fluminense pelo Brasileirão em telão de LED”, disse.

Ronaldo Angelim está na história do Flamengo. Foi dele o gol do título de Campeão Brasileiro de 9 de dezembro de 2009, quando fez um gol de cabeça. Tal destaque rendeu elogios de nada menos que Ronaldo Fenômeno, que afirmou achar Ronaldo Angelim “o zagueiro ideal” e que “gostaria de tê-lo como companheiro de equipe”, em participação no programa Bem, Amigos!, do canal SporTV.

Segundo Paladino, o ídolo do clube carioca vai prestigiar o evento no próximo domingo (23) e fará autógrafos e fotografias com os presentes. Às 14h, será exibido o jogo ao vivo entre Flamengo e Fluminense, pelo Brasileirão.

Já sobre a Taça da Libertadores, esta vai sair do Museu do Flamengo, no Rio de Janeiro, com dois funcionários do clube que fazem sua guarda. Ela ficará disposta no evento para uma sessão de fotos, mas não deve ser tocada. O troféu foi dado ao Flamengo depois de uma final emocionante contra o Athetico Paranaense, em 2022, que acabou em 1×0 para o time do Rio de Janeiro.

Ingressos:

A venda de ingressos físicos acontece na loja A Casa da Sogra, ao lado do Terminal Central, e na Mary Bijoux no Via Verde Shopping. O ingresso virtual pode ser adquirido por meio da Sympla (clique aqui para acessar).

O valor da entrada é de R$ 30 até a quinta-feira (20). Na sexta-feira (21) e no sábado (22) os ingressos custarão R$ 35. O valor do ingresso na bilheteria no domingo (23) ainda não foi definido.

Comentários

Continue lendo

Brasil

MEC destina R$ 40 milhões para construção de novo campus na regional do Alto Acre

Publicado

em

O investimento inicial de R$ 40 milhões será aplicado na construção de salas de aula, laboratórios, restaurante universitário, biblioteca, urbanização e equipamentos, campus universitário na regional do Alto Acre.

Campus Fronteira, em Brasiléia, esta inserida nas obras do Novo PAC, como também ouve anúncio da recomposição do orçamento de custeio das universidades federais. Foto assessoria

A reitora da Universidade Federal do Acre (UFAC), Guida Aquino, anunciou em uma rede social nesta quarta-feira (19), que o Ministério da Educação aprovou o envio de R$ 40 milhões para a construção de um campus universitário na regional do Alto Acre.

De acordo com Guida, o investimento inicial de R$ 40 milhões será aplicado na construção de salas de aula, laboratórios, restaurante universitário, biblioteca, urbanização e equipamentos.

“É o sonho de toda aquela região que agora nós teremos como consolidar. Em breve estaremos convidando toda a comunidade daquela região, a bancada estadual, federal e demais autoridades, para que possamos fazer uma audiência pública e pensar nos cursos que vamos pactuar com o Ministério da Educação”, disse a reitora.

Guida também anunciou o início de dois programas de ensino em parceria com a Secretaria de Educação Indígena, que abordarão os saberes indígenas e a educação do campo, bem como a terceira turma de formação indígena por meio do Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Interculturais Indígenas (Prolind).

Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Interculturais Indígenas

O Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Interculturais Indígenas (PROLIND) é um programa realizado pelo Ministério da Educação (MEC), numa iniciativa conjunta de duas de suas secretarias, a Secretaria de Educação a Distância, Alfabetização e Diversidade (Secad) e a Secretaria de Ensino Superior (SESU). O principal objetivo do programa é apoiar financeiramente cursos de licenciatura especificamente destinados à formação de professores de escolas indígenas, as chamadas licenciaturas indígenas ou licenciaturas interculturais.

O processo de criação do programa envolveu a ação de diversos atores durante o início da década de 2000. A Comissão Nacional de Educação Escolar Indígena (CNEEI), na época denominada Comissão Nacional dos Professores Indígenas (CNPI) passou a reivindicar junto ao MEC a criação de políticas de apoio à formação universitária de professores de escolas indígenas. Tais reivindicações consistiam principalmente na demanda por introduzir no Programa Diversidade na Universidade (primeira iniciativa do MEC no sentido de criar uma política pública ligada ao acesso diferenciado de minorias étnico-raciais, iniciado no ano de 2003 a partir da participação do governo brasileiro na Conferência de Durban no ano anterior) mecanismos de apoio à formação superior indígena, para além do financiamento de cursos pré-vestibulares a alunos indígenas realizado até então.

O movimento pela criação dessa política ganhou corpo no ano de 2004, a partir da contratação pela SESU de Renata Bondim, assessora da Organização das Nações Unidas, para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) responsável por promover o debate com universidades, movimentos sociais e governo em torno do tema do ensino superior indígena e da criação, pelo MEC, da Comissão Especial para Formação Superior Indígena (CESI), composta por organizações governamentais e não governamentais. Tal comissão foi responsável por elaborar no ano de 2005 as diretrizes político pedagógicas do PROLIND, que passou a vigorar a partir da publicação do edital n.º 5/2005/ SESU/Secad-MEC.

O PROLIND não constitui uma política de apoio permanente, sendo a liberação de fluxos financeiros condicionada pela criação de editais que selecionam os projetos das universidades públicas interessadas. Foram lançados até hoje três instrumentos jurídicos desse tipo (o já mencionado edital de 2005, o edital de 2008 e o edital de 2009), que por sua vez já contemplaram 20 institutos de ensino superior. O MEC estima que 1564 professores indígenas estavam em formação no ano de 2010 em cursos financiados pelo PROLIND. A seleção dos projetos é feita por um Comitê Técnico Multidisciplinar, formado por representantes da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), da Associação Brasileira de Antropologia (ABA), da Associação Brasileira de Lingüística (ABRALIN), do Fórum Brasileiro de Pró-Reitores de Graduação e, no edital de 2005, pelo ex-conselheiro do Conselho Nacional de Educação (CNE), Jamil Cury.

Inicialmente, o edital de 2005 previa também o apoio a projetos que visassem a permanência de estudante indígenas em cursos regulares, mas nos editais seguintes tal eixo de financiamento deixou de existir. Os recursos financeiros desse primeiro edital vieram, em parte do Programa Diversidade na Universidade, apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e em parte com recursos da SESU.

No ano de 2006, o MEC realizou, juntamente com o Programa Trilhas de Conhecimentos, a FUNAI, a Universidade de Brasília (UnB), e outros parceiros, o Seminário Nacional de Avaliação do PROLIND, onde foram discutidas as primeiras experiências de cursos de licenciatura indígena e elaboradas demandas para políticas públicas na área.

Comentários

Continue lendo

Brasil

PPCUB é aprovado na CAF da Câmara Legislativa

Publicado

em

Por

PPCUB é aprovado na CAF da Câmara Legislativa
Henrique Neri

PPCUB é aprovado na CAF da Câmara Legislativa

O Projeto de Lei Complementar nº41/2024, que institui o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) foi aprovado na manhã desta quarta-feira na Comissão de Assuntos Fundiários (CAF), da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) . A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, na sequência, no plenário da Casa

O relator, deputado Hermeto (MDB), foi o presidente da comissão e contemplou 107 emendas e rejeitou 66. Os deputados Hermeto (MDB), Pepa (PP), Eduardo Pedrosa (União Brasil) e Daniel Donizet (MDB) votaram a favor do projeto. Gabriel Magno (PT) votou contra o projeto e alegou que emendas importantes foram ignoradas pelo relator.

“Uma emenda que trata de preocupação com as áreas verdes foi rejeitada. É preciso atualizar o PPCUB à realidade que estamos convivendo com mais intensidade nos últimos anos dos extremos climáticos”, declarou Magno.

De acordo com o relator, deputado Hermeto (MDB) “o PLC n° 41/2024 traz grandes avanços ao compilar e atualizar os parâmetros de uso e ocupação do solo para os lotes e projeções de todo Conjunto Urbanístico de Brasília atualmente dispostos em normas dispersas, defasadas e de difícil consulta. O PLC propõe uma ponderada ampliação e flexibilização de usos que poderá promover tanto a regularização de situações consolidadas, quanto a dinamização de diversos setores da cidade, contribuindo para o desenvolvimento urbano sem ferir seus valores patrimoniais”.

The post PPCUB é aprovado na CAF da Câmara Legislativa first appeared on GPS Brasília – Portal de Notícias do DF .

Fonte: Nacional

Comentários

Continue lendo