“Não houve execução, tanto que o suspeito que se rendeu encontra-se sob custódia”, disse o comandante geral Júlior César

CONTILNET
Coronel Ulysses deixou claro que a polícia não vai baixar a guarda contra aquele que descumprem as leis /Foto: ASCOM PMAC
Coronel Ulysses deixou claro que a polícia não vai baixar a guarda contra aquele que descumprem as leis /Foto: ASCOM PMAC

Após a morte do policial militar Jean Meneses, baleado na manhã desta sexta-feira (9) enquanto tentava evitar o assalto à uma casa de carnes no Bairro Esperança, o coronel da PM, Ulysses Araújo, ainda indignado com a morte de um companheiro da corporação, passou uma mensagem enérgica e firme durante entrevista à imprensa local, deixando claro que a polícia vai sempre responder na medida necessária contra aqueles que ousarem desafiar a lei.

 Jean de Oliveira Menezes, 40 anos, morto nesta sexta na capital do Acre
Jean de Oliveira Menezes, 40 anos, morto nesta sexta na capital do Acre

Ulysses primeiramente lamentou a morte do amigo e confirmou a informação de que um dos acusados foi morto durante intensa troca de tiros com a polícia. Em relação ao outro suspeito, Edmilson Gomes dos Santos, 18 anos, o coronel se resumiu a dizer: “Já está preso, ele se rendeu durante o confronto com a forças policiais. Só não morreu, porque não teve a hombridade de reagir, podemos colocar dessa forma”.

O comandante geral da PM, Júlio César, ressaltou que a polícia reagiu após os criminosos dispararem em direção às guarnições.

“Não houve execução, tanto que o suspeito que se rendeu encontra-se sob custódia, agora quanto ao outro, reagiu e a polícia não pode aceitar mais baixas.”

Com informações do Gazeta Alerta

Edmilson Gomes dos Santos, 18 anos, foi morto durante intensa troca de tiros com a polícia. Em relação ao outro suspeito.
Edmilson Gomes dos Santos, 18 anos, foi morto durante intensa troca de tiros com a polícia. Em relação ao outro suspeito.

menor

Comentários