fieac 3

O deputado federal Alan Rick (PRB), vice-presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA) da Câmara dos Deputados foi recebido pelo Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, na tarde desta quarta-feira, 25, em Brasília juntamente com representantes do setor florestal da CNI e FIEAC.

Participaram da reunião o diretor-geral do Serviço Florestal brasileiro do MMA, Raimundo Deusdará; o deputado federal Valtenir Pereira (PMDB/MT); José Adriano, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre; Adelaide Fátima, presidente da ASIMMANEJO e SINDUSMAD; Shelley Carneiro, diretor de Meio Ambiente da CNI; Mário Cardoso, diretor da CNI.

Na pauta, a abertura de uma agenda do setor produtivo florestal com o Ministério do Meio Ambiente.

“O objetivo dessa nossa reunião foi abrir um diálogo entre as representações do setor florestal principalmente da região amazônica com o novo ministro do Meio Ambiente”, explica Alan.

O ministro recebeu sugestões com a finalidade de potencializar as atividades produtivas da área ambiental, dar um dinamismo diferenciado nos licenciamentos ambientais e, consequentemente, dialogar de maneira mais próxima sobre a fiscalização destes licenciamentos.

“Foi uma reunião excelente, estabelecemos uma agenda positiva e o Ministro foi muito receptivo. O setor florestal agradece o apoio do deputado Alan por sua atenção com setor produtivo”, ressalta Adelaide Fátima.

Também esteve em pauta a revisão da Portaria 443/14, que reduz o número de espécies de madeira comerciais da região amazônica e a Portaria 411/09, que trata do Coeficiente de Rendimento Volumétrico de Madeira (CRV), bem como o Fundo Amazônia, que hoje é gerenciado pelo BNDES.

O ministro se comprometeu a fazer um estudo para verificar a possibilidade de revisão e aplicação das mudanças necessárias.

Foram discutidas ações para que sejam incentivados projetos na área ambiental de médias e grandes propriedades na área do carbono e também no manejo sustentável. E, em cima disso, trabalhar não só com a Confederação Nacional da Indústria, mas também com demais setores empresariais, como as federações estaduais e associações produtoras.

“O Estado do Acre possui muitas experiências positivas. É um dos estados com maior área de floresta preservada, além de vários projetos importantes de manejo em andamento. Além disso, 95% da madeira beneficiada é produto de manejo”, completa o deputado.

Comentários