Conecte-se conosco





Flash

Advogado é preso transportando 17 mil munições na rodovia 317

Publicado

em

Advogado trafegava pela BR-317 e passou no entroncamento do Quinari, quando foi alvo de uma abordagem de rotina

Durante a revista no carro, os policiais encontraram uma pistola 9mm municiada com 16 munições intactas em um carregador.

ITHAMAR SOUZA

O advogado Jaime Fontes Vasconcelos, 37 anos, foi preso transportando 17 mil munições, na tarde desta segunda-feira (19), no entroncamento do município de Senador Guiomard, na Rodovia AC-40, no interior do Acre.

Segundo informações da polícia, o advogado estava trafegando pela BR-317 em um carro modelo Pajero de cor branco e passou no entroncamento do Quinari, quando foi alvo de uma abordagem de rotina já na rodovia AC-40. Durante a revista no carro, os policiais encontraram uma pistola 9mm municiada com 16 munições intactas em um carregador.

Ao continuar na vistoria, no porta-malas do veículo foram encontradas várias caixas com 14 mil munições de 9mm, 2 mil munições de calibre 380 e 1 mil de calibre não especificado. Jaime faz parte de um clube de tiro, mas disse que as munições não tinham origem legal. Ele falou ainda que estava vindo da zona rural do município de Epitaciolândia na fronteira com a Bolívia.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão ao homem, que foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Senador Guiomard, juntamente com a arma e as munições, para a tomada dos devidos procedimentos.

Foram encontradas várias caixas com 14 mil munições de 9mm, 2 mil munições de calibre 380 e 1 mil de calibre não especificado / Foto: Cedida

Ao reportagem, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre (OAB-AC), Erick Venâncio informou que ainda não foi informado pela polícia sobre a ocorrência.

“Se eles nos comunicarem sobre esse caso vamos encaminhar para o tribunal de ética e disciplina para ver se há alguma infração ética, mas ainda não formos comunicado de nada”, disse.

Advogado é preso com 17 mil munições em estrada no interior do Acre — Foto: Arquivo/PM-AC

Comentários

Em alta