O último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) apresenta redução significativa da doença em todo o estado. Em 2018, foram registrados durante o mês de dezembro 1.638 casos da doença, contra 4.140 no mesmo período do ano anterior.

“Reduzimos 60% comparando dezembro de 2017 com o mesmo mês de 2018, já em um comparativo anual, o Acre apresenta uma redução de mais de 28% nos casos de malária e isso representa aproximadamente menos 10 mil casos por ano. Essa redução anual é o menor número que o estado alcança de redução desde o ano 2011”, destaca a técnica de vigilância em saúde, Marília Carvalho.

Essa redução foi superior à meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS) que seria de 20%. O Acre ficou em segundo lugar com o maior número de redução, atrás somente do estado de Tocantis.

Fortalecimento das ações

Para alcançar esses números, a Sesacre com o apoio do Ministério da Saúde (MS) intensificou as ações de fortalecimento com os municípios prioritários, realizando a entrega de equipamentos como carros, bebedouros, computadores, motos, motores para borrifação, entre outros.

Também foi realizada a atualização dos profissionais da ponta que executam as atividades, assim como o monitoramento dos dados, a integração com a atenção básica, e contou com a presença dos apoiadores do Ministério da Saúde (MS), nos municípios de Rodrigues Alves Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul.

A Sesacre se empenhou para que o fluxo de envio de insumos como inseticidas, e antimaláricos chegassem em tempo oportuno para esses municípios, evitando o desabastecimento da população e prestando o apoio necessário.

“Nós temos uma equipe na regional do Juruá, desde a descentralização das atividades da malária para o município de Cruzeiro do Sul, a Sesacre montou equipe na regional para dar resposta mais efetiva para aqueles municípios e realizar o monitoramento mais próximo”, explica Marília Carvalho.

As ações para o ano de 2019 serão continuadas e intensificadas para que a redução seja ainda maior. O apoio técnico aos municípios será reforçado por meio do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Controle de Endemias da Sesacre, com capacitações e suporte aos municípios.

 

Comentários