Pesquisa do Sebrae mostrou que 68% dos microempresários do estado foram afetados pela crise financeira.

No Acre, os serviços não essenciais estão suspensos desde 20 de março, logo após o estado confirmaram os três primeiros casos de Covid-19.
G1-Acre

Uma pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostrou que o Acre está entre os cinco estados do país mais afetados pela crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus. O dado foi divulgado pela Rede Amazônica Acre, na quinta-feira (28).

O estudo mostrou que o estado acreano tem aproximadamente 29 mil micro e pequenas empresas. Do total, 25 mil são microempreendedores individuais e 68% foram diretamente afetados pelo fechamento dos serviços não essenciais.

Um dos trabalhadores afetados foi o Igor Alves, que é produtor cultural do rock e tem uma loja de roupas e acessórios no estado acreano. Com a pandemia, nenhuma das atividades está gerando renda no momento. Uma vez ou outra que ele faz entregas de alguns produtos para não perder as vendas.

“É um momento muito difícil, a gente vem tentando trabalhar de forma remota para que nossos clientes fizessem as compras de casa mesmo e a gente oferecesse várias formas de pagamento e entregasse”, lamentou.

Apesar de concordar com as medidas de isolamento, ele diz que se vê em uma situação complicada para honrar os compromissos com os fornecedores, mesmo tendo recebido o auxílio de R$ 600 do governo federal.

“Consegui o auxílio emergencial, com muito tempo depois consegui. A segunda parcela saiu, mas a gente não pode mexer nela se não for fazer pagamento digital. Está em uma poupança digital e a gente precisa de dinheiro, tem que pagar conta, precisamos pagar um aluguel que não dá para pagar assim [pelo cartão virtual]. Bom, estamos recebendo, é pouquíssimo, mas melhor do que nada”, frisou.

No Acre, os serviços não essenciais estão suspensos desde 20 de março, logo após o estado confirmaram os três primeiros casos de Covid-19.

O decreto de suspensão das atividades foi renovado pelo governo no último dia 18 e tem validade até domingo (31).

Pesquisa do Sebrae aponta Acre como um dos cinco estados mais afetados pela crise
Pesquisa do Sebrae aponta Acre como um dos cinco estados mais afetados pela crise

Ajuda

Segundo o diretor do Sebrae, Lauro Santos, algumas medidas são adotadas para que os microempresários, como o Igor Alves, possam ter acesso aos créditos que ajudam a manter as empresas ativas.

“Estamos procurando, já conversei com o Sicrei, Sicobe e a Capital Crédito, que são as cooperativas que atuam na capital no Acre, buscando sensibilizá-los para que façam um convênio com o Sebrae para utilizar nosso fundo de aval de micro e pequena empresa, que avalia as operações em até 80%”, destacou.

Porém, o cenário não é tão motivador. O estudo mostra que 86% das empresas que buscam a linha de crédito estão tendo os pedidos negados ou não tiveram nenhum tipo de resposta, sendo que 55% dos empregos no Brasil são gerados por microempresas.

“Isso está, inclusive, forçando o governo a buscar medidas alternativas e editar novas medidas provisórias, facilitando o acesso ao crédito”, afirmou Santos.

Uma das medidas adotadas para o fortalecimento do pequeno negócio é a regulamentação do programa nacional de apoio a microempresas e empresas de pequeno porte, previsto para estar disponível no próximo mês. Para o diretor do Sebrae, os microempresários estão ansiosos aguardando essa regulamentação.

“Então, nosso cálculo, com a estimativa dele, seria aí no início de junho, primeira semana de junho, que é o que o mercado e as microempresas estão aguardando com ansiedade essa liberação do crédito”, concluiu.

Comentários