Conecte-se conosco





Cotidiano

Acre deixa de ser o último para ser o penúltimo no ranking de competitividade

Publicado

em

O Centro de Liderança Pública divulgou Recentemente os resultados do Ranking de Competitividade dos Estados 2021. A boa notícia é que o Acre já não é mais o lanterninha desse ranking e subiu uma posição e empurrou Roraima para o último lugar.

São Paulo segue líder e é o Estado mais competitivo do Brasil. Seguem Santa Catarina, Distrito Federal e Paraná.

Na décima edição consecutiva do Ranking de Competitividade dos Estados, a avaliação das 27 unidades federativas foi ampliada de 73 para 86 indicadores, distribuídos em dez pilares temáticos considerados fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão pública dos estados brasileiros: Infraestrutura, Sustentabilidade Social, Segurança Pública, Educação, Solidez Fiscal, Eficiência da Máquina Pública, Capital Humano, Sustentabilidade Ambiental, Potencial de Mercado e Inovação.

Os novos indicadores foram acrescidos em três pilares específicos: Eficiência da Máquina Pública, Sustentabilidade Social e Sustentabilidade Ambiental. Neste último, o levantamento passa a avaliar indicadores como desmatamento e recuperação de áreas degradadas, enquanto a temática social leva em conta, a partir de agora, indicadores como cobertura vacinal, obesidade e desnutrição infantil. Por fim, o estudo também incorporou temáticas essenciais como equidade de gênero e de remuneração na administração pública.

Além disso, o Ranking de Competitividade dos Estados de 2021 conta com novas camadas adaptadas aos parâmetros ESG e ODS, além de dados internacionais dos países membros da OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Desta forma, se mede o tamanho do desafio dos estados sob a ótica internacional buscando-se boas práticas que possam ser aplicadas ao Brasil.

“Um fator que influenciou na oscilação das posições dos estados foi o acréscimo dos 13 indicadores no Ranking deste ano. De qualquer forma, assim como nas últimas sete edições, São Paulo segue na 1ª colocação. Do mesmo modo, Santa Catarina permanece na 2ª posição, Distrito Federal na 3ª e Paraná na 4ª”, explica o CLP.

A maioria dos estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste concentra-se na metade superior do ranking, com os estados do Norte e Nordeste ocupando posições mais baixas. Ceará é o representante do Nordeste mais bem colocado (12ª), à frente de Alagoas (13ª). E Amazonas é o representante do Norte com melhor colocação (11ª). Os três últimos colocados foram Pará, Acre e Roraima. Nesta edição, Piauí saiu das últimas posições, passando da 26ª para a 20ª colocação.

Comentários

Em alta