Conecte-se conosco





Flash

Acre colocou em liberdade apenas 4 mulheres das 228 aptas à prisão domiciliar

Publicado

em

O Estado não atentou para a determinação imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Os dados foram divulgados em uma reportagem do jornal O Globo de domingo.

Fonte: O Globo

De acordo com a medida, mães de crianças até 12 anos e mulheres grávidas presas provisórias devem cumprir prisão domiciliar

Um levantamento do Departamento Penitenciário (Depen) mostra que dos 27 estados da federação, apenas 24 deles informaram a quantidade de grávidas e mães que ganharam a liberdade a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em colocá-las em prisão domiciliar. O Acre aparece em primeiro lugar como o Estado que menos cumpriu a determinação entre os 24 citados.

________________

Das 228 mulheres acreanas em casas de detenção, apenas quatro delas ganharam a liberdade condicional. Ou seja, apenas (1,7%). Os dados foram divulgados em uma reportagem do jornal O Globo de domingo. 

________________

Após o Acre, vem o Ceará. Lá, apenas 104 mulheres cumprem prisão domiciliar, das 743 presidiárias (13,9%). Minas liberou apenas 190 mulheres, o que corresponde a 10,5% em um universo de 1.807 reeducandas.

Das 491 mulheres aptas a ganhar o benefício no Rio de Janeiro, apenas 60 estão na nova condição determinada pelo Supremo (12,2%). São Paulo é o estado que tem o melhor índice no cumprimento da medida, 1.436 presas paulistas receberam o benefício, o que corresponde a 46,2%. São Paulo tem 3.103 presas aptas a serem beneficiadas.

A medida imposta pelo STF já está em vigor no País há pouco mais de um ano. Mas, divide opiniões de magistrados em todos os tribunais do território nacional.

Comentários

Em alta