Armas e objetos recuperados por homens da PM e Gefron foram levados para a delegacia.

Um trabalho envolvendo homens do 5º Batalhão da Polícia Militar do Alto Acre e do Gefron, conseguiram localizar e deter três acusados de estarem envolvidos em diversos roubos em propriedades localizadas na zona rural de Epitaciolândia nos últimos dias.

Entre os detidos, estão dois menores de 16 e 17 anos, juntamente com Auricélio Dias de Araújo, de 25 anos. As ações do trio vinha acontecendo a dias e as autoridades vinham no encalço, uma vez que estes estavam roubando objetos pessoais, joias e semi-joias, eletrônicos, dinheiro e até perfume.

Auricélio teria ido até a casa da vítima para pedir dinheiro na garantia de devolver seus pertences de volta.

Mas, o principal alvo seria armas para serem usadas em outros roubos que seriam planejados e praticados futuramente. Nos dois últimos dias, as propriedades invadidas, foram levadas espingardas, rifles e revolveres, motoserra, além de munições .

Em um dos casos onde praticaram o roubo, Auricélio teria ido até a casa da vítima, para dizer que poderia receber tudo de volta, caso lhe desse R$ 10 mil reais, só não contava que seria preso em pouco tempo.

Parte dos objetos roubados foram localizados.

Durante todo o dia deste domingo, dia 22, após a localização de um dos menores, foi possível localizar as armas roubadas, parte de alguns pertences, além dos demais integrantes que vinham praticando os delitos.

No meio das armas recuperadas, havia uma espingarda calibre 28 adaptada com um cano de rifle calibre 44, que seria usada nos crimes. No momento que os acusados eram levados para as celas, algumas das vítimas dos roubos prestavam queixas e identificavam seus produtos roubados.

Se acredita que as armas seriam usadas por grupos criminosos em outros crimes pela fronteira. Foi informado que Auricélio possui outras ocorrências em seu desfavor e que deverá ser conduzido ao presídio tão logo seja ouvido pelo judiciário local. Os menores serão apresentados ao MP e deverão ser encaminhados ao ISE.

Comentários