Dados do Ministério da Saúde, divulgados nesta sexta-feira (13), mostram que o Acre não conseguiu atingir a meta do público-alvo de vacinação contra o sarampo. O estado acreano imunizou apenas 91,4 e, com isso, ficou entre os oito estados e o Distrito Federal que não atingiram a meta, que era de 95%.

No início de novembro, o Ministério da Saúde já tinha anunciado que o Acre tinha vacinado apenas 81,98% das crianças com idade de seis meses e menores de cinco anos.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a doença encerrou dia 25 de outubro e 22 mil crianças dessa faixa etária deveriam ter sido imunizadas, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre).

No dia 18 de novembro, a Saúde iniciou a segunda fase da campanha para imunizar jovens e adultos entre 20 a 29 anos. A etapa se encerrou no último dia 30.

Ao G1, o Núcleo do Programa Estadual de Imunização informou que os dados do Ministério da Saúde, divulgados nesta sexta, não incluem alguns municípios do Acre. Isso porque, segundo a gerência, 13 cidades acreanas não conseguiram enviar a produção do mês.

Ainda conforme o Núcleo, um documento será enviado para o Ministério solicitando a revisão dos dados. As cidades não conseguiram enviar os dados e atualizar os números devido uma transição do sistema de informação.

Estados que não atingiram a meta

Além do Acre, os estados do Pará (85,4%), Roraima (87,9%), Bahia (88,9%), Maranhão (90%), Piauí (91,9%), Distrito Federal (93,7%), São Paulo (93,9%) e Amapá (94,9%) também não conseguiram atingir a meta estabelecida nas campanhas.

Apesar disso, a meta vacinal no Brasil contra a doença foi alcançada. O balanço da Saúde revela também que a doença circula em 17 estados brasileiros. Entre 1º de setembro a 23 de novembro já foram confirmados 3.565 mil casos da doença.

Verba de incentivo

Acre recebeu mais de R$ 800 mil para a vacinação contra o sarampo. A verba faz parte de um pacote liberado pelo Ministério da Saúde para ampliar a cobertura vacinal, o controle de surtos e a interrupção da transmissão do sarampo, e outras doenças possíveis de imunização em todo o país.

Esse valor foi disponibilizado dentro de um montante R$ 103 milhões (metade do bônus de R$ 206 milhões) criado para incentivar os municípios brasileiros a vacinar em massa crianças entre seis meses e cinco anos de idade.

O dinheiro foi repassado no dia 18 de outubro para os fundos municipais de saúde, de acordo com o tamanho da população de cada cidade. A outra metade da verba será liberada para os municípios que conseguirem atingir 95% da meta de vacinação.

Comentários