fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Abate indiscriminado ameaça extinção de jumentos no Brasil, alertam USP

Publicado

em

Especialistas da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP) estão soando o alarme: a população de jumentos no Brasil corre risco de extinção. O ritmo atual de abate, impulsionado pela crescente demanda chinesa por ejiao, um produto da medicina tradicional feito a partir do colágeno extraído da pele desses animais, está superando a taxa de reprodução natural dos jumentos. O problema é exacerbado pelo abate clandestino, que não é registrado oficialmente, mas contribui significativamente para a diminuição dos animais.

A China, que precisa de até 10 milhões de jumentos anualmente para atender sua demanda, tem buscado suprimentos de outros países, incluindo o Brasil. O ejiao é altamente valorizado na China por suas supostas propriedades medicinais, embora sua eficácia não tenha comprovação científica. Este mercado movimentou cerca de R$ 22 bilhões em 2018, refletindo a alta demanda pelo produto. O couro dos jumentos é o principal interesse dos chineses, enquanto a carne é um subproduto consumido em algumas regiões do norte do país.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que o Brasil possui cerca de 902 mil jumentos, dos quais 97% estão no Nordeste. Desde julho de 2017, a Bahia iniciou a exportação de carne e couro de jumento para a China, com uma meta ambiciosa de enviar 200 mil unidades por ano. Em apenas um ano e quatro meses, mais de 100 mil jumentos foram abatidos em três frigoríficos baianos autorizados pelo governo federal, localizados em Amargosa, Itapetinga e Simões Filho. A continuidade desse ritmo de abate pode levar à extinção da espécie no Nordeste em menos de cinco anos.

A situação é agravada pela natureza extrativista da cadeia produtiva dos jumentos no Brasil. Os animais são capturados na natureza e abatidos, sem uma estrutura de criação sustentável, normas adequadas, ou fiscalização eficiente do transporte e das condições em que são mantidos. A falta de uma contagem recente da população de jumentos dificulta ainda mais a implementação de medidas de conservação.

Nos últimos dois anos, o Brasil se tornou um importante fornecedor de couro de jumento para a China. Este comércio, contudo, coloca em risco a sobrevivência da espécie no país. O processo envolve múltiplos intermediários, desde sertanejos e comerciantes até transportadores, fazendeiros e empresas de logística, tanto no Brasil quanto na China.

A alta demanda chinesa, aliada à ausência de uma produção estruturada e a fiscalização insuficiente, pode levar à extinção dos jumentos no Brasil. É crucial que medidas urgentes sejam tomadas para regulamentar o abate e promover a criação sustentável desses animais, evitando que um componente importante da fauna brasileira desapareça em um futuro próximo.

Fonte: Pensar Agro

Comentários

Continue lendo

Geral

Vereador foi preso depois da sessão extraordinária, crime ocorreu em 2020 e chegou ao conhecimento da polícia em 2021, em Assis Brasil

Publicado

em

Por

A prisão do parlamentar ocorreu após a sessão na Câmara Municipal de Vereadores pela Polícia Civil.

Vereador Wermyson Martins Tamburini fez uma publicação em uma rede social antes de ser preso – Foto: Arquivo pessoal

Vereador de Assis Brasil Wermyson Martins Tamburini e outros dois acusados de abusarem da vítima foram presos nesta terça-feira (28).  

Por Aline Nascimento – G1 Acre 

O vereador Wermyson Martins Tamburini (PSDB), que foi preso na manhã desta terça-feira (28) acusado de estupro de vulnerável contra um menino de 11 anos em Assis Brasil, interior do Acre. A prisão do parlamentar ocorreu após a sessão na Câmara Municipal de Vereadores pela Polícia Civil.

Os policiais cumpriram um mandado de prisão contra o vereador e outros dois acusados do crime após o caso transitar em julgado na Justiça.

Juntos, os três foram condenados a mais de 31 anos de prisão em regime fechado. Os demais acusados seriam um servidor público e um idoso. Eles foram levados para Brasiléia/Epitaciolândia, também no interior, e devem ser transferidos para um presídio de Rio Branco nos próximos dias.

A reportagem tenta contato com a defesa do vereador.

O presidente da Câmara de Vereadores de Assis Brasil, Wendell Gonçalves Marques, o Tcheco, disse que não iria comentar o assunto, que é ‘algo particular do vereador’. Ele afirmou que vai aguardar a notificação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC) para cumprir o regimento da Casa.

O presidente da Câmara de Vereadores de Assis Brasil, Wendell Gonçalves Marques, o Tchero, afirmou que vai aguardar a notificação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC) para cumprir o regimento da Casa. Foto: arquivo 

“O regimento tem alguns pontos que diz o que cabe para a perda do mandato. Um dos pontos é esse tipo de coisa [prisão]. Assim que a gente for notificado a Câmara vai se manifestar. Teve sessão normal, ele estava e a prisão foi depois”, confirmou.

Comentários

Continue lendo

Geral

Duas mulheres são presas com quase 8 quilos de cocaína em Senador Guiomard

Publicado

em

Por Sandra Assunção

Duas mulheres, P.F.S e A.V.D.P. foram presas nessa segunda-feira, 27, pelo Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e Polícia Militar, com quase 8 quilos de cocaína, no município de Senador Guiomard, na BR-317. As duas estavam em um táxi que fazia o trajeto de Epitaciolândia para Rio Branco.

As equipes realizavam abordagens no Posto de Fiscalização, visando combater crimes transfronteiriços quando pararam o táxi de placas QLV-5A13 que transportava as duas.

Nas respostas aos policiais, as passageiras entraram em contradição e apresentaram nervosismo e inconsistência, gerando suspeitas. Na revista da bagagem, os policiais localizaram um fundo falso em uma das malas e nela encontraram 7,6 quilos de cocaína, avaliados em R$ 230.550 mil. A dupla foi presa em flagrante.

No sábado, 25, uma mulher foi presa no mesmo local com mais de 28 quilos de maconha do tipo skunk.

Comentários

Continue lendo

Geral

Manoel Moraes confia na integridade da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa

Publicado

em

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Manoel Moraes (PP) se posicionou durante a sessão desta terça-feira, 28, a respeito do relatório da Polícia Federal que apontava supostas irregularidades na nomeação de investigados no âmbito da operação Ptolomeu casa legislativa.

Moraes não deixou de ressaltar sua confiança na integridade da casa legislativa, afirmando: “Nós votamos, confiamos e sabemos que está sendo feito certo”. Ele também apontou que providências estão sendo tomadas para corrigir eventuais erros de comunicação com outras entidades, demonstrando um compromisso com a transparência e a correção de falhas.

Ao abordar questões de nomeação e independência política, o líder do governo enfatizou a importância de confiar nos deputados e no processo legislativo. “Essa casa é independente. Então se a pessoa fez, ele fez por alguma razão. Porque a pessoa ajudou ele, politicamente”, declarou Moraes, defendendo a autonomia da Assembleia Legislativa do Acre.

Em suas considerações finais, o deputado reiterou a importância de corrigir o que for necessário e manter a independência da casa legislativa. “A mesa vai procurar corrigir o que tiver de ser corrigido, manter o que tiver de ser mantido e ter a nossa independência”, concluiu.

Comentários

Continue lendo