fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

A França se cansou das frustrações com Neymar. Ele vale R$ 814 milhões menos, ofuscado por Messi e Mbappé. PSG planeja vendê-lo

Publicado

em

França vê cada vez menos importância em Neymar. Messi e Mbappé ‘roubaram’ o estrelato no PSG
REUTERS/SARAH MEYSSONNIER – 28.12.2022

A admiração da França por Neymar acabou. Ele foi eleito apenas o 16º personagem mais importante do futebol do país. Vale hoje cerca de R$ 414 milhões. Foi comprado por R$ 1,2 bilhão

Kylian Mbappé (jogador do PSG), Karim Benzema (jogador do Real Madrid), Didier Deschamps (técnico da seleção francesa), Lionel Messi (jogador do PSG), Zinédine Zidane (técnico sem clube).

Stéphanie Frappart (árbitra), Vincent Labrune (presidente da Liga Francesa), Nasser al-Khelaïfi (presidente do PSG), Antoine Griezmann (jogador do Atlético de Madrid).

Fayza Lamari (mãe e empresária de Mbappé), Franck Haise (técnico do Lens), Amélie Oudéa-Castéra (ministra dos Esportes da França), Pablo Longoria (CEO do Olympique de Marseille), Olivier Giroud (jogador do Milan), Hugo Llloris (jogador do Tottenham)

Neymar (jogador do PSG), Aurélien Tchouaméni (jogador do Real Madrid), Luis Campos (diretor esportivo), Christophe Galtier (técnico do PSG) Igor Tudor (técnico do Olympique de Marseille).

Os franceses adoram listas, premiações, condecorações, referências.

Elas servem para motivar.

Mas também para deixar as pessoas “no seu devido lugar”. Apontar a importância, a significância, a relevância para os jogadores, treinadores, empresários no atual momento do futebol da França.

E a lista da revista France Football foi um duro golpe para Neymar.

Acumular os fracassos na Champions League com o PSG e na Copa do Mundo do Catar pesou. E a cobrança veio.

A France Football divulgou pela oitava vez a lista.

Ela deixa claro que o mesmo jogador que em 2017 teve sua imagem estampada na Torre Eiffel, e que chegaria para levar o futebol francês a outro patamar, tem tido temporadas cada vez mais decepcionantes.

A 16ª colocação resume de maneira dura a desvalorização atual do melhor jogador deste país.

Ele foi comprado pelo PSG, em 2017, por 222 milhões de euros, R$ 1,2 bilhão.

O valor atual do jogador, de acordo com o site especializado em transferências, o transfermarkt, é de 75 milhões de euros, cerca de R$ 414 milhões.

Ou seja, vale 29% do que valia quando foi comprado.

A desvalorização comercial foi de 71%.

Mas acontece que ele também envelheceu.

Chegou à França no auge de sua forma, com 25 anos.

Matty Cash, jogador polonês, mostra com orgulho as camisas de Messi e Mbappé

Nestes últimos cinco anos, não conseguiu seu principal objetivo individual, o de se transformar no melhor do mundo.

Fracassou no sonho do PSG, da família real catariana, de fazer o clube vencedor da Champions League. Foram cinco anos de expectativas e desilusão.

Sucumbiu com a seleção e virou até motivo de piada por suas simulações, na Copa da Rússia. No Catar, acumulou sua terceira derrota em Mundiais. O de 2014 deixou contundido. Mas, nos dois últimos, caiu em campo e não passou das quartas de final.

Suas noitadas sem fim, os exageros, chiliques com juízes, provocações a adversários, simulações, escândalos sexuais, tudo isso se juntou para arruinar sua imagem.

As críticas não param por seu início de temporada no PSG.

Jornalistas franceses o classificam como desmotivado.

Ele perdeu brilho para Messi, campeão da Copa do Catar, e também, para Mbappé, vice-colocado, mas artilheiro da competição.

Embora tenha renovado contrato com o PSG até 2027, há uma crescente convicção entre os repórteres dos principais veículos franceses de que Neymar não deverá seguir na França.

Invertendo a postura pública do jogador, que tentou por dois anos seguidos voltar para o Barcelona, será o PSG que tentará colocar o atleta no mercado. Vendê-lo, trocá-lo.

Buscar um nova estrela.

O ainda jogador mais caro da história do futebol mundial não correspondeu.

Seu auge atlético passou.

Messi é aplaudido pelo elenco do time francês. Orgulho do PSG em ter o vencedor da Copa do Catar

PSG

A Champions não foi conquistada.

Ele esteve no centro de diversas polêmicas desnecessárias.

O trauma de perder a terceira Copa do Mundo seguida, enquanto seus companheiros Messi e Mbappé brilharam na Ásia, se manifesta nas partidas de retomada do futebol francês.

Neymar vem sendo duramente criticado.

E apontado como desmotivado.

Após a final da Copa do Mundo, as camisas de Messi e Mbappé, no PSG, venderam mais de 200%, no site oficial do clube.

As de Neymar seguiram estagnadas.

Ou seja, ele é o terceiro jogador no clube onde foi para ser o melhor do mundo.

E sua relevância para o futebol da França é medíocre.

Apenas 16º personagem.

A sensação de fim de relacionamento é claro.

Só o milagre de uma conquista de Champions poderia mudar a realidade.

Comentários

Cotidiano

Palmeiras empata com o Cruzeiro e é campeão brasileiro

Publicado

em

Alviverde ficou no resultado igualitário com a Raposa, mas conseguiu o 12° título brasileiro da história

É Campeão! Pode comemorar, torcedor, o Palmeiras é dodecacampeão brasileiro após empatar com Cruzeiro por 1 a 1, com gols de Endrick e Nikão, no Mineirão. Longe do Allianz, o Alviverde conquistou mais um troféu para a sua galera, no entanto, com muitos torcedores que viajaram para BH para ver de perto mais uma taça do torneio nacional.

Agora, o Palmeiras conquistou seu terceiro troféu no ano, antes já havia sido campeão do Paulistão e da Supercopa do Brasil. Além disso, na era Abel Ferreira, que se iniciou em 2020, foram nove títulos ao todo, sendo duas Libertadores, uma Copa do Brasil, dois campeonatos paulistas, uma Recopa, uma Supercopa do Brasil e dois campeonatos brasileiros.

Já o Cruzeiro, que escapou do rebaixamento, termina o Brasileirão na 14ª posição e agora terá um período de férias antes de se reapresentar pensando no Campeonato Mineiro.

Palmeiras abre o placar e fica mais próximos do título

O Alviverde já entrou sentindo o clima de mais uma taça. Sabendo das grandes chances de ser campeão, o time palestrino foi conduzindo o jogo e abriu o placar aos 20′, com Endrick.

A situação do clube de Abel Ferreira ficou ainda melhor quando notou que Atlético-MG e Flamengo, que poderiam ganhar o título remoto, iam perdendo seus respectivos jogos.

Tranquilo, o Palmeiras foi apenas administrando o resultado. O Cruzeiro até teve boas chances, mas Weverton defendeu, garantindo a vantagem para o time palestrino.

Segundo tempo..

O Palmeiras já chegou levando perigo logo aos 2′, com Endrick, mas Rafael Cabral fez a defesa. Na sequência, a Raposa chegou com perigo duas vezes. Primeiro, Japa chegou, depois, Matheus Pereira e Arthur Gomes tiveram chances, mas desperdiçaram.

Aos 22′, a jogada foi de Raphael para Rafael. Veiga mandou um belíssimo chute a gol, mas Cabral, bem posicionado, evitou o segundo tento do Alviverde.

Com o título praticamente conquistado, o Palmeiras promoveu a estreia do jovem Estevão, que fez seu primeiro jogo com a camisa do Alviverde como profissional.

Aos 34′, Nikão, que tinha acabado de entrar para seu último jogo com a camisa do Cruzeiro, empatou o jogo.

Apesar do resultado igualitário, não foi o suficiente para tirar o título das mãos do Palmeiras. O Alviverde já estava com as mãos na taça e ergueu em pleno Mineirão seu 12° título nacional.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras

Local: estádio do Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data e hora: quarta-feira (6), às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
VAR: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)

Cartões amarelos: Richard Rios (Palmeiras); Lucas Silva (Cruzeiro)

Gols: Endrick aso 20’/1°T (Palmeiras)/ Nikão aos 34’/2°T (Cruzeiro)

CRUZEIRO: Rafael Cabral; William, Luciano Castán, João Marcelo e Marlon (Kaiki); Ian Luccas (Fernando Henrique), Lucas Silva (Nikão) e Japa; Matheus Pereira, Bruno Rodrigues e Arthur Gomes (Robert). Técnico: Paulo Autuori.

PALMEIRAS:  Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez e Murilo; Mayke (Estevão), Zé Rafael (Fabinho), Richard Ríos (Atuesta), Raphael Veiga e Vanderlan; Endrick (Flaco López) e Breno Lopes (Artur). Técnico: Abel Ferreira.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Santa Cruz fecha temporada e prepara planejamento até 2026

Publicado

em

Com um jantar para atletas, pais e patrocinadores, o Santa Cruz fechou nesta terça, 5, na Associação Cafezar, a temporada de 2023.

O CEO do Santa Cruz, Adem Araújo, agradeceu o trabalho realizado em 2023 e estabeleceu metas para o próximo ano.

“Conseguimos conquistar títulos no nosso primeiro ano com condições precárias de trabalho. Vamos melhorar a nossa estrutura e tornar o Santa Cruz ainda mais forte”, disse o dirigente.

Planejamento até 2026

Segundo Adem Araújo, estão sendo realizadas reuniões diárias e a meta é fechar o planejamento até 2026.

“Iremos disputar todas as competições de base em 2024 e também alguns torneios em Rondônia. A Copa Rancharia, em São Paulo, no mês de janeiro é prioridade porque vamos estabelecer alguns contatos e apresentar nossos atletas. Estamos projetando nosso planejamento até 2026, inclusive, com a entrada no futebol profissional”, declarou Adem Araújo.

Cuidamos dos seus filhos

Adem Araújo pediu empenho dos atletas para um trabalho ainda mais profissional.

“O Santa Cruz cuida dos seus filhos. Precisamos do apoio dos pais para a dedicação máxima dos garotos”, afirmou o CEO.

Bocalom e Morais

O prefeito Tião Bocalom (PP) e o vereador Antônio Moraes (PSB) estiveram presentes no evento promovido pelo Santa Cruz.

Santa Cruz em 2023

Sub-11/Campeão

Sub-13/Campeão

Sub-15/Campeão

Sub-17/Vice-campeão

Sub-20/Semifinalista

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Dupla acreana perde e é eliminada da disputa de medalha do Brasileiro Sub-19

Publicado

em

Foto FEAV: Garotos acreano irão tentar ficar entre as 10 melhores duplas do Brasil

A campanha da dupla acreana Adrian/Sales no Campeonato Brasileiro de Vôlei de Praia Sub-19 em Saquarema, no Rio de Janeiro, terminou na fase de oitavas de final. Os garotos da terra de Galvez perderam para Luiz/José Henrique, do Paraná, por 2 sets a 1, com parciais de 21×15, 13×21 e 12×15.

Disputa 9 º lugar

Adrian/Sales enfrentam nesta quarta, 6, Matheus/Victor Hugo, do Mato Grosso, e irão tentar a 9ª colocação no torneio nacional.

Feminino eliminado

Ana Francisca/Letícia foram derrotadas pela dupla da Bahia e fecharam o Brasileiro sem nenhuma vitória.

Comentários

Continue lendo




Em alta