Luciano_Dias_27-12-2013Da redação, com Simone Chalub

Mestre e doutor em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, autor de vários livros e artigos publicados sobre política, história e administração pública brasileira, e membro da Fundação Milton Campos (FMC), Luciano Dias, visitou o Acre nos últimos dias para conduzir um debate sobre o futuro dos jovens na política, ministrou palestra, e fez uma leitura da atual conjuntura em que se encontra o Partido Progressista (PP) no Acre.

Dias participou do evento promovido pelo Executiva Estadual durante o I Encontro de Jovens Progressistas, realizado em Rio Branco, onde lideranças de vários municípios esclareceram dúvidas e expuseram suas ideias sobre o tema. Luciano também esteve reunido com militantes e pré-candidatos do PP para as eleições 2014, buscando nortear as futuras lideranças para a realização de uma política limpa e decente.

De maneira resumida, Luciano Dias analisa a liderança do presidente da sigla no Acre, deputado federal Gladson Cameli e apresenta uma síntese do olhar da Executiva Nacional para as ações dos progressistas no estado. “O PP no Acre vem utilizando uma estratégia correta, e justificável, de crescer por meio de alianças com outros partidos para ocupar espaços no poder. Este é o momento certo de buscar novos caminhos”, disse o cientista político.

De acordo com ele, o eleitor acreano precisa de alternativas, pois os últimos resultados eleitorais apontam o desejo imediato por mudanças. “O deputado Gladson Cameli entendeu que este é o momento certo do PP apresentar o seu programa e sua identidade para os acreanos. A Executiva Nacional saúda esta brilhante iniciativa”, ressaltou Dias.

“O povo sonha com a democracia funcionando a seu favor”

Sobre a importância do PP Jovem e da Mulher Progressista no atual contexto, Luciano diz que na política moderna, contemporânea e pós manifestações de 2013, as forças têm a missão de resgatar os laços com a população, pois o eleitor encontra-se descrente, mas mesmo assim tem o desejo de respostas imediatas e eficientes das autoridades, sonhando com uma relação transparente junto aos seus governantes.

“A população brasileira fez protestos, mas continua sendo democrática. Eles não querem ditadores e muito menos regimes autoritários, o povo sonha com a democracia funcionando a seu favor. A primeira missão dos políticos é voltar a ter uma relação sadia, correta e de confiança com o eleitor.

Dessa forma, os movimentos da Mulher Progressista e do Jovem Progressista são fundamentais neste cenário, pois eles terão a missão de estabelecer canais de comunicação com as forças que hoje são consideradas emergentes. Primeiro a Juventude, que foi as ruas protestar, segundo a Mulher, que no atual momento ocupa um espaço importante, pois cerca de 40% das famílias brasileiras são lideradas por elas. Estas são as fronteiras de transformação que precisamos estabelecer”, esclareceu Luciano.

Eleição majoritária é prioridade da Executiva Nacional

Com relação a atuação do PP no Acre, Dias revelou que a Executiva Nacional não poderia estar mais satisfeita, a medida que o grande objetivo, fixado desde a convenção deste ano, é o crescimento partidário.

“Para nós é importante que nossas lideranças tenham coragem, disposição e vontade de assumir uma postura condizente com a vontade de crescer, o que resulta na eleição majoritária. O Partido Progressista tem uma boa bancada de deputados e senadores, porém necessita estreitar a comunicação com o eleitorado urbano. Precisamos alçar voos altos, para assim garantir mais visibilidade ao partido, expondo e executando nossas ideias em programas com as lideranças que temos em todas as regiões do país.

Para finalizar, Luciano explicou que o PP precisa vencer as eleições para o senado e para os governos estaduais, pois está é a maneira pelo qual o partido terá garantias de mais visibilidade para expor suas ideias, programas e lideranças. “Estamos muito satisfeitos com o deputado Gladson e com todo PP no Acre, e com certeza vamos garantir o apoio a sua candidatura em 2014”, conclui.

Comentários