inadimplencia_12_w1Estudo da Serasa Experian revela que número de devedores no Acre cresceu 17,9% no mês de março de 2016, em relação ao mesmo mês de 2015, a maior alta no período no país, chegando a um total de 249.156 consumidores com dívidas atrasadas. É a pior situação no Brasil, liderando o ranking Cerca de 70% da população Economicamente ativa do Estado tem dívidas e está a um passo do calote. Como exemplo, o Amazonas no período cresceu 7,3% totalizando 1,28 milhão de inadimplentes, ou quase a metade da população do Estado em idade de trabalhar. Esses resultados contribuem para a liderança das Regiões Norte e Nordeste no calote do País.

Como resultado, o Amazonas representa 2,1% do total de endividados do País. O montante representa 45,8% do universo da população em condições de trabalhar no Estado, que atingiu 2,81 milhões de pessoas, segundo estimativa da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad) trimestral do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em março passado.

Atualmente, o Brasil possui cerca de 60 milhões de negativados, segundo dados da Serasa referentes a março. É a maior marca já registrada desde que a Serasa iniciou a medição, em 2012, quando pela primeira vez a inadimplência atingiu 50,2 milhões de pessoas.

Na distribuição da inadimplência pelo País, o Estado de São Paulo segue concentrando a maior fatia, com 23,5%, em março de 2016. O Rio de Janeiro está em segundo lugar, com 9,9% dos 60 milhões de consumidores inadimplentes e Minas Gerais ocupa a terceira posição, com9,2% do total.

A Região Centro-Oeste é a campeã em valor médio da dívida dos consumidores inadimplentes em março de 2016, alcançando R$ 5.540,00. No mesmo período do ano anterior, o valor era menor (R$ 5.223,00). Em segundo lugar vem a Região Sul, com dívida média de R$ 5.145,00, valor ligeiramente superior ao apresenta do em março de 2015.

Em terceiro lugar está a Região Sudeste, com dívida média de R$4.630,00, montante inferior ao de março de 2015 (R$ 4.726,00). As regiões Norte e Nordeste vêm em quarto e quinto lugar.

Comentários