Conecte-se conosco





Acre

7% das grávidas e lactantes completaram o esquema vacinal contra Covid-19 no Acre

Publicado

em

O Observatório Obstétrico divulgou no último fim de semana novos dados sobre o impacto da Covid-19 entre gestantes e puérperas. Uma estatística alarmante é a de que a vacinação vem ocorrendo em ritmo insuficiente, o que significa que futuras mães e as que tiveram bebês recentemente seguem expostas ao grave risco de contrair o vírus SARS-CoV-2 e de ir a óbito.

Brasil tem 3.1 milhões de gestantes e puérperasa. Conforme dados de vacinação da Campanha Nacional de Vacinação contra Covid-19, divulgados em https://opendatasus.saude.gov.br/dataset/covid-19-vacinacao e atualizados em 15 de setembro 2021, são 1.318.196 doses aplicadas em gestantes e puérperas, com 421.245 gestantes e puérperas completamente imunizadas (com segunda dose ou dose única).

Proporcionalmente, os três Estados que mais aplicaram a primeira dose são Pernambuco (46%), Espírito Santo (45%) e Paraná (44%). Os que menos imunizaram até agora: Roraima (3%), Ceará (6%) e Amapá (12%).

Os especialistas alertam puérperas e gestantes a se vacinar o mais urgentemente. Também analisam os quadros geral e por estado, para melhor compreensão do fenômeno: existem cerca de 14 mil gestantes e puérperas no Acre, sendo que 14% receberam a primeira dose e 7% completaram o ciclo imunizatório.

No Acre, a situação é a mesma do País com um agravante: todos os grupos estão com a 2ª dose em atraso. “Infelizmente o cenário de segundas doses de todos os grupos não é satisfatório”, disse Renata Quilles, diretora do Programa Estadual de Imunização.

Segundo a Associação Médica Brasileira, a letalidade da doença em casos graves (casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG): era de 7,3% em 2020 e saltando para 14,9% em 2021. Desde o início da pandemia, uma a cada cinco gestantes e puérperas mortas por Covid-19 não teve acesso a unidades de terapia intensiva (UTI) e 32,4% não foram intubadas.

Para outras informações sobre a vacinação Covid-19 para a população de gestantes e puérperas, clique no link observatorioobstetricobr.shinyapps.io/vacinacao-covid19 e acesse os menus “Vacinação COVID-19”, para informação das doses aplicadas diariamente e acumuladas, e “Vacinação estado e município”, para recortes por estados e municípios brasileiros. Para as análises consideradas nesses dois menus, foram filtrados casos únicos identificados como ‘gestante’ ou ‘puérpera’, ano de vacinação em 2021, do sexo feminino e entre 10 e 55 anos.

No Acre, o PEI atua para ampliar a aplicação da segunda dose. “Estamos fortalecendo as informações, esclarecendo duvidas, os receios quanto à segurança e eficácia da vacina e as reações que são (quanto se tem) bem mais leves na 2° dose”, completou Quilles.

Comentários

Em alta